Brasil e colômbia estabelecem intercâmbio em matéria de patrimônio cultural

Após intensa semana de reuniões, ocorridas no período de 21 a 25 de janeiro, autoridades colombianas e representantes da direção do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) definiram uma série de ações no âmbito do Projeto de Intercâmbio Técnico-Cultural entre os dois países em matéria de patrimônio cultural.

As ações acordadas incidem sobre os temas de gestão do Patrimônio Cultural, salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, empreendimentos culturais relacionados ao patrimônio, universo cultural das comunidades afrodescendentes, diversidade linguística e criação de fundos bibliográficos para a gestão do patrimônio cultural.

Essas ações decorrem dos compromissos institucionais assumidos entre os Governos da Colômbia e do Brasil, estabelecidos na Reunião da Comissão Mista Cultural, Educacional e Esportiva, realizada em Brasília, em 2011.

Iniciativas previstas
Dentre as iniciativas previstas destacam-se a realização de estudos comparados sobre experiências em desenvolvimento no Brasil e na Colômbia, a realização de estágios para representantes de instituições públicas e organizações comunitárias em sítios culturais protegidos e salvaguardados e a difusão de experiências sobre intervenções contemporâneas nessas áreas históricas.

Estão previstos estudos relacionados com os mecanismos e instrumentos de gestão do patrimônio cultural, como a estruturação e funcionamento de Sistema Nacional de Patrimônio Cultural; os mecanismos e instrumentos de financiamento da sua preservação e salvaguarda; e os instrumentos de gestão público-privada existentes.

Os Sítios Culturais do Patrimônio Mundial dos dois países serão objeto de estudo comparado sobre os instrumentos técnicos, legais e financeiros aplicados para a sua preservação. Para tanto e levando em consideração aspectos de interesse comum como dimensão, complexidade, uso turístico do sítio declarado e importante referência de matriz africana, serão prioritariamente estudados, Salvador, no Brasil, e Cartagena das Índias, na Colômbia.

No campo da salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, destaca-se o desenvolvimento do Projeto da Cartografia Cultural do Noroeste Amazônico que passa a ser reforçado pelas instâncias político-institucionais dos dois países, prevendo, entre outras atividades, a elaboração de um Plano Especial de Salvaguarda e finalização da cartografia cultural e sua socialização com as comunidades envolvidas.  Outros temas também acordados para a realização de intercâmbio foram o das cozinhas tradicionais e o da diversidade linguística, considerando as políticas públicas de salvaguarda existentes no Brasil e na Colômbia.

As oficinas- escolas foi outra questão também destacada, com o objetivo de promover o intercâmbio de experiências e informação sobre metodologias, mecanismos e instrumentos de formação, gestão, financiamento e certificação.

O IPHAN deverá, ainda, facilitar o intercâmbio de experiências sobre as políticas de promoção da igualdade racial, articulando com as instituições brasileiras que se ocupam dessa matéria as possibilidades para a difusão de suas experiências junto às instituições colombianas que tratam dessa matéria naquele país.

Por último, o IPHAN, em comum acordo com a Direção de Patrimônio do Ministério da Cultural colombiano, acordou em estabelecer um fundo bibliográfico especializado sobre a gestão do patrimônio cultural da Colômbia para a Biblioteca de Referência do Centro Lucio Costa (CLC), no Rio de Janeiro.

Participaram, pela delegação brasileira, pelo IPHAN, a presidenta Jurema Machado, o assessor de Relações Internacionais, Marcelo Brito; a diretora do Departamento de Patrimônio Imaterial, Celia Corsino; e o diretor do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização, Andrey Rosenthal Schlee. Pela delegação colombiana, participaram, pelo Ministério da Cultura da Colômbia, o diretor de Patrimônio, Juan Luis Isaza Lodoño, o diretor de Populações, Moisés Donaldo Medrano Bohórquez; e o assessor da Área de Assuntos Internacionais e Cooperação, Ángel Eduardo Moreno Marín.

Veja a Ata da Missão Institucional Brasil-Colômbia em matéria de patrimônio cultural [aqui]

O que você pensa sobre isto ?