IPHAN-RJ realiza digitalização de arquivos para a preservação da memória ferroviária

Sem-Título-5O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Rio de Janeiro (IPHAN-RJ) em parceria com a Inventariança da Extinta Rede Ferroviária Federal, antiga RFSSA, iniciaram neste mês de maio a digitalização do acervo iconográfico de valor histórico da Unidade Regional Campos (URCAM). Antes da extinção da RFFSA, a Unidade Regional era sede da administração de aproximadamente 1500 km de linhas ferroviárias operacionais e, aproximadamente, 1700 km de linhas ferroviárias não operacionais e/ou erradicadas.

Seu acervo registra o percurso histórico de ramais ferroviários e possui herança na formação da malha férrea do Brasil, detendo vasta documentação de escrituras, plantas, mapas, fotografias e muitas outras peças de valor histórico e cultural que registram e testemunham desde os investimentos ingleses no Brasil no final do século XIX, através da The Leopoldina Railway Company Limited, passando pelas empresas brasileiras e suas sucessoras, pela criação da Extinta Rede Ferroviária Federal S/A – RFFSA (1957) e todos os anos de seu funcionamento.

A iniciativa busca preservar a memória ferroviária e resulta de uma ação imediata dos parceiros pela salvaguarda da integridade do acervo da URCAM, que além de inegável valor cultural, é fonte de pesquisa para o trabalho administrativo e judicial de diversos órgãos, além do IPHAN e da Inventariança da Extinta RFFSA, tais como DNIT, SPU e outros.

Na primeira fase do trabalho, o recém-criado Núcleo de Digitalização do Escritório Técnico do IPHAN na Região dos Lagos (ETRL/IPHAN-RJ) está higienizando, catalogando e digitalizando cerca de 400 imagens, registradas por volta de 1900, todas elas compostas por cromos negativos em vidro (ver fotos), um requinte de técnica fotográfica utilizada pela Estrada de Ferro The Leopoldina Railway Company Limited para documentar a evolução dos ramais férreos nos citados Estados. Após esta etapa, a equipe do ETRL passará à catalogação e digitalização das imagens históricas conservadas em papel.

Ainda em 2013, o IPHAN, em parceria com a Inventariança da Extinta RFFSA, pretende implantar na URCAM um laboratório de digitalização cuja proposta será digitalizar grande parte do acervo de Plantas e Mapas (grandes formatos) existentes naquela Unidade Regional, cujo montante alcança cerca de 8 mil desenhos técnicos, muitas delas datadas desde o final do século XIX. Tal acervo é de fundamental importância para a elaboração de projetos de restauração de estações ferroviárias e outros imóveis, todos eles relativos à Memoria Ferroviária que se pretende preservar.

fonte : Ascom/Iphan-RJ

O que você pensa sobre isto ?