Programa levará cultura popular e educação patrimonial

Cerca de 34 mil escolas poderão escolher a Educação Patrimonial para desenvolver projetos de educação patrimonial junto aos alunos. O tema proposto pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) é um dos nove eixos do Programa Mais Cultura nas Escolas, iniciativa dos Ministérios da Cultura e da Educação que busca fomentar ações que promovam o encontro entre escolas públicas e experiências culturais e artísticas em curso nas comunidades vizinhas locais.

As escolas que escolherem a temática deverão desenvolver atividades participativas de formação cultural e aprendizado que promovam vivências, pesquisas e a valorização de bens culturais de natureza material e imaterial referentes à memória e identidade cultural dos variados segmentos da população brasileira. Como exemplo estão os Monumentos e obras de arte, os modos de vida, as festas, as comidas, as danças, as brincadeiras, as palavras e expressões, saberes e fazeres da cultura brasileira, podendo incluir podem servir como base para a produção de materiais didáticos, realização de oficinas de transmissão de saberes tradicionais, pesquisas em arquivos e locais referenciais para a história e a identidade local, regional e nacional.

O Programa, que terá investimento de R$ 100 milhões em 2013 para financiar cinco mil projetos, prevê o desenvolvimento das atividades – que poderão acontecer dentro ou fora da escola – durante o ano letivo, por no mínimo seis meses. Cada projeto terá entre R$ 20 mil e R$ 22 mil em recursos, calculados conforme o número de alunos matriculados na escola. O recurso deverá ser investido tanto na contratação de serviços culturais quanto na compra de materiais permanentes relacionados às atividades artísticas e pedagógicas.

Além da educação patrimonial, as instituições de ensino poderão trabalhar com outros oito os eixos temáticos: Residências de Artistas para Pesquisa e Experimentação nas Escolas; Criação, Circulação e Difusão da Produção Artística; Promoção Cultural e Pedagógica em Espaços Culturais; Cultura Digital e Comunicação; Cultura Afrobrasileira; Culturas Indígenas; Tradição Oral e Educação Museal.

Inscrições
As inscrições seguem até o dia 10 de agosto e poderão participar 34 mil escolas municipais e estaduais da rede pública contempladas pelos Programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador, além de artistas e iniciativas culturais. Uma lista com as escolas habilitadas, e outras informações sobre o Programa como, folder, manual e lista de perguntas e respostas podem ser encontradas no sítio eletrônico do MinC, a partir do link:  http://www.cultura.gov.br/maisculturanasescolas.

A inscrição pode ser feita por meio do Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação via: http://simec.mec.gov.br. Dúvidas podem ser enviadas para maisculturanasescolas@cultura.gov.br.

Abertas as inscrições para concurso de monografias sobre folclore e cultura popular

Estão abertas até 7 de agosto 2013 as inscrições para o Concurso Sílvio Romero de Monografias sobre Folclore e Cultura Popular edição 2010. Criado em 1959, o prêmio é concedido anualmente pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por intermédio do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, com o objetivo de fomentar a pesquisa, estimulando a diversidade e a atualização da produção de conhecimento no país voltada para esse campo de estudos.

Os prêmios, nos valores de R$ 13 mil e R$ 10 mil, serão concedidos aos autores dos trabalhos classificados em primeiro e em segundo lugares, respectivamente. A critério da Comissão Julgadora ainda poderão ser indicadas até três menções honrosas, agraciadas exclusivamente com o título de destaque.

Os trabalhos deverão ser entregues ao Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, – Rua do Catete, 179, Catete, Rio de Janeiro, RJ, CEP 22.220-000 -, até às 18h do dia 7 de agosto, ou remetidos pelos Correios, sob registro, até a data indicada, sendo o carimbo de postagem o comprovante para a observância do prazo.

Acesso o edital completo.

Cultura, o alimento da educação

Imagem: Brasilfolclore

Por Amelia Hamze

Um povo que perde a sua cultura perde sua alma, fica sem identidade. Hoje, os meios de comunicação estão entre os principais transmissores da cultura de um país. Lógico que, como pano de fundo está todo um conjunto cultural, oferecendo uma maneira diferente de se viver, em resumo, um padrão cultural diferente. O termo cultura tem sido tratado, muitas vezes, como o campo de saberes peculiares e de base científica. Classificando cultura como tudo que o homem faz, vamos encontrar incluída a maneira de falar (língua), a maneira de vestir, de morar, de comer, de trabalhar, de rezar, de se comunicar, de se interagir, etc. No Brasil, tão vasto, tão amplo, com tantas expressões diferentes, com distintas maneiras de ser, de viver, de conviver e de fé múltipla, que vão se modificando de lugar para lugar, e a todo o momento, não podemos falar de uma única cultura, mas de culturas plurais que o formam. Será que já paramos para pensar, por exemplo, quantas nações existem inseridas no nosso contexto? São abrangentes culturas, culturas indígenas, africanas, quantas culturas plurais nós temos? A nossa realidade é formada por muitos povos europeus, cada um com suas tradições, línguas, procedimentos, modos de ser e crer, e que se misturaram aos distintos povos indígenas e africanos e ajudaram a formar um país plural e de diversas culturas.

Leia matéria completa no blog ANTROPOÉTICA – Arte educação e Movimento