Estrada de Ferro atrai 5 mil pessoas por fim de semana, em Porto Velho

Complexo da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré foi revitalizado e entregue à população em 2010 (Foto: Jenifer Zambiazzi/G1)

A Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM) completou na quinta-feira (1) 101 anos. Segundo uma pesquisa realizada pela Secretaria de Turismo (Setur) de Rondônia, estima-se que a EFMM atrai cerca de cinco mil pessoas por fim de semana, no complexo histórico da ferrovia, em Porto Velho.

Complexo da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré foi
revitalizado e entregue à população em 2010
(Foto: Jenifer Zambiazzi/G1)

Além de ser um atrativo turístico, já que parte da ferrovia foi tombada, em 2006 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como patrimônio cultural brasileiro, várias atividades culturais vêm sendo realizadas no complexo.

Reformada desde 2010, como parte da compensação ambiental da Santo Antônio Energia, a praça e os galpões da Estrada de Ferro, na Avenida Farquar, se tornou um novo espaço de convivência na capital. Foram investidos R$ 4,6 milhões na restauração.

Segundo Beto Bertagna, superintendente do Iphan, a recuperação trouxe à sociedade porto-velhense um espaço pertencente aos próprios moradores. “Antes da recuperação, a praça era um ponto de usuários de drogas, hoje é local de famílias, de crianças”, frisa o superintendente do Iphan.

Festivais de teatro e filme, apresentações de músicas e de poesia na EFMM ocorrem com maior frequência, desde a reforma. Recentemente, Porto Velho contou com o Festival Amazônia Encena na Rua, que levou milhares de pessoas as arquibancadas do complexo.

Outro projeto independente que ocorre no gramado da ferrovia é o Acústico Lo-Fi, que foi criado para ser uma opção de lazer aos domingos. A ideai mistura música, poesia e feira de trocas. Cantores solos, bandas e grupos de amigos se reúnem para apresentar suas composições.

Segundo secretário da Setur Júlio Olivar, outros projetos também serão implantados e criados para aumentar ainda mais este público. “A nossa intenção é fazer visitas monitoradas com as escolas em todo o complexo. Além de disponibilizar turismólogos para a região”, diz Olivar.

Um projeto que já está pronto e deve ser colocado em prática em pouco tempo, segundo o secretário, é o Rota Porto Velho 48h, que pretende fazer circuitos de passeios turísticos pela cidade e seus pontos de atração turística.

A revitalização
Segundo a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) a revitalização da ferrovia de Rondônia começou após um estudo de viabilidade técnica em 2007. A primeira parte da obra foi entregue em 2010.

Igreja de Santo Antônio foi um dos primeiros marcos da história de Porto Velho (Foto: Jenifer Zambiazzi/G1)

Desde novembro de 2011, estão sendo restaurados a oficina, o girador e a rotunda da EFMM. Nesse trabalho estão sendo investidos R$ 8 milhões. Também fazem parte do Complexo da Estrada de Ferro Madeira Mamoré a Igreja de Santo Antônio, que terá a revitalização do entorno entregue em 30 dias e o Prédio do Relógio que está previsto para ter a reforma iniciada até o início de 2014.

Via G1.com

Em Rondônia, blog mostra a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré antes e depois de revitalização

Veja neste arquivo Power Point produzido pelo Arquiteto Giovani Barcelos , um comparativo entre o que era a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré no ano de 2008 e , depois, no ano de 2012. Muito útil para professores de história regional e para quem realmente se interessa pela realidade da ferrovia tombada. Clique no link para fazer download     >      ESTRADA DE FERRO MADEIRA-MAMORÉ

fonte: efmm100anos