Iphan no Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – 2013

O tema patrimônio cultural se faz novamente presente no Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – Fórum das Artes. Em 2013, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) promoverá, de 24 a 26 de julho, o Encontro “ProEext – Extensão Universitária na Preservação do Patrimônio Cultural – Práticas e Reflexões”.

A iniciativa visa aproximar coordenadores, professores e estudantes que participaram do ProEext nos últimos quatro anos e avaliar o desenvolvimento da parceria entre o IPHAN, Ministério da Educação e Instituições de Ensino Superior (IES). O objetivo é traçar estratégias para acompanhar, avaliar, qualificar e aproximar os resultados dos projetos com o trabalho do Instituto e contribuir para a consolidação do Sistema Nacional do Patrimônio Cultural.

Confira aqui Programação do Encontro ProExt.

Além do Encontro, o Instituto, responsável desde 2011 pela curadoria do Festival no tema Patrimônio, selecionou oficinas que acontecem de 15 a 19 de julho. A programação também contará com intervenções audiovisuais próximas às atrações do Festival (Casa da Ópera/Centro de Convenções/Praça da UFOP) nos dias, 20, 21, 26, 27 e 28 de julho. O Projeto intitulado Miragens será realizado em conjunto com seis adolescentes, de 14 a 18 anos, alunos das escolas de Ouro Preto, e tem o intuito de desenvolver junto a eles uma série de partituras audiovisuais unindo suas impressões e desejos de intervenção e transformação do espaço público urbano.

O Festival
Com o tema Em Tempos Diversos, o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – Fórum das Artes 2013 segue as tendências da atualidade e tem a diversidade como fio condutor das suas atividades. As apresentações, oficinas, shows, fóruns e espetáculos, foram pensados com o intuito de levar o público a navegar por diferentes tempos e estilos, e contribui para fomentar a reflexão de um assunto cada vez mais presente no cotidiano das pessoas: o respeito às diferenças.

O evento é realizado simultaneamente, em duas das mais importantes cidades históricas de Minas Gerais pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), em parceria com a Fundação Educativa de Ouro Preto (FEOP) e as prefeituras de Ouro Preto e de Mariana.

Programação das Oficinas da Curadoria de Patrimônio

Inscrições pelo site http://www.festivaldeinverno.ufop.br/2013/index.php

Contatos pelo e-mail: sentidosurbanosop@gmail.com

IPHAN monitora estado de conservação de igreja em Ouro Preto

Os profissionais do Escritório Técnico do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em Ouro Preto (MG) acompanham de perto o estado de conservação da Igreja de Nossa Senhora da Conceição. As vistorias rotineiras são realizadas desde 2010, quando começou a tramitar no IPHAN-MG e no Escritório em Ouro Preto o projeto de restauração arquitetônica estrutural, elementos artísticos e complementares. Na vistoria realizada em fevereiro de 2013, foram constatadas peças comprometidas estruturalmente, com início de ruptura de algumas delas, principalmente no sistema da cobertura sobre o coro (trecho inicial da nave).

Para minimizar os riscos à estrutura da igreja, a presidenta do IPHAN, Jurema Machado, determinou nesta terça-feira, dia 16 de abril, que as intervenções necessárias à garantia da estabilidade do bem sejam realizadas de imediato, com recursos do orçamento ordinário. A superintendente do IPHAN-MG também acompanha as ações desempenhadas pelo Escritório Técnico em Ouro Preto e, nos próximos dias terão início às obras de escoramento no coro da igreja. Além dos recursos do IPHAN, estão previstos para a Igreja Nossa Senhora da Conceição R$ 6,5 milhões do PAC Cidades Históricas. O projeto de restauro já foi apresentado ao IPHAN e passa agora por análise da comissão coordenadora do programa.

Testemunha da história
Das mais antigas paróquias de Minas Gerais, a Matriz de Nossa Senhora da Conceição, além de seu tamanho e suntuosidade, destaca-se também pela presença do túmulo de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. A construção do templo teve início em 1724, segundo projeto e orientação de Manoel Francisco Lisboa, pai de Aleijadinho.

Com arquitetura típica de primeira metade do século XVIII, a fachada foi modificada em meados do século XIX. A decoração interna da nave também é atribuída a Manoel Francisco Lisboa. A igreja possui oito altares consagrados a Nossa Senhora da Boa Morte, São João Batista, São Gonçalo, São Miguel e Almas, São José, São Sebastião, São Antônio e Nossa Senhora Aparecida. Há também uma imagem de Nossa Senhora da Conceição em tamanho natural, doada pelo Coronel Cícero Pontes em 1893, inspirada na Conceição de Murilo.

Na antiga sacristia, consistório e porão está o Museu Aleijadinho com várias obras do mestre, como os leões de essa, a imagem de São Francisco de Paula, um Cristo crucificado e os lançamentos do óbito do Aleijadinho.

Fonte: ASCOM – IPHAN

Memória ameaçada

Por José Horta Manzano

Dos edifícios antigos que subsistem nas cidades brasileiras, raros são os que têm mais de um século. Poucas casas foram levantadas no século XIX num País escassamente povoado à época. Assim mesmo, dentre as poucas que restam, boa parte anda abandonada ao deus-dará.

Interesses comerciais primam sobre considerações históricas. Um século atrás, as cidades eram bem menores e seu perímetro construído, restrito. As aglomerações cresceram vertiginosamente. As construções mais antigas se encontram hoje, naturalmente, em regiões valorizadas, em pleno centro das metrópoles.

Com a valorização das regiões centrais, o proprietário de construções antigas tende a vendê-las a promotores. Novos edifícios ― altos e modernos ― surgirão dos escombros da História destruída. Para o brasileiro padrão, mais vale um belo prédio moderno de 20 ou 30 andares, dotado de todas as comodidades da vida moderna, do que um velho casarão. Diferentemente do que ocorre na Europa, a velha construção aparece como mancha urbana, excrescência a ser eliminada quanto antes. Afinal, em Miami não há essas velharias.

É triste, mas assim é. E assim seguimos. O grosso de nossa população não aprendeu a conceder o devido valor aos (poucos) testemunhos históricos que nos restam. E, como ninguém consegue dar o que não tem, os adultos de hoje estão desarmados para transmitir às novas gerações a formação e a informação que eles mesmos não receberam. Assim, nossos jovens não dispõem de fontes onde impregnar-se.

Um exemplo noticiado pela Folha de São Paulo de 16 de abril vem a calhar. A reportagem nos informa que a igreja de Nossa Senhora da Conceição, erguida em Ouro Preto na primeira metade do século XVIII (1724), foi obrigada a fechar suas portas ao público visto o risco de desabamento.

Há mais: o templo abriga o túmulo e o Museu do Aleijadinho, o maior escultor barroco que o Brasil conheceu. Cansado de esperar por providências das autoridades pagas para cuidar de nosso escasso patrimônio arquitetural, o próprio vigário tomou a iniciativa de interditar a igreja.

Há mais ainda: o edifício está tombado como patrimônio nacional desde 1949. Portanto, está há mais de 60 anos sob os cuidados do Poder Público.

A região das cidades históricas das Minas Gerais abriga o coração de nosso patrimônio arquitetônico. Ouro Preto, antiga capital da província, é sua expressão maior. Qualquer aluno de escola média sabe quem foi Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. O que nem todos sabem é que, do jeito que vão as coisas, nossos netos perigam apenas conhecer sua obra através de belas fotos, nada mais. Serão fotos digitais e, com um pouco de sorte, em alta resolução. Naturalmente.

Vamos esperar que o tempo, a umidade e os cupins se encarreguem da demolição? Não vai precisar esperar muito.

fonte : Brasil de Longe

Deu na Folha de S. Paulo : Ex-prefeito de Ouro Preto, Ângelo Oswaldo, vai presidir Ibram

Ângelo Oswaldo de Araújo Santos, ex-prefeito de Ouro Preto (MG), foi indicado pelo Ministério da Cultura para presidir o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), órgão responsável por políticas públicas na área de museus que foi criado há quatro anos.

Araújo Santos, que já foi presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), órgão antes responsável também pelos museus do país, substitui o antropólogo José do Nascimento Júnior, que criou o Ibram e foi exonerado da presidência do órgão pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, em março.

fonte: Folha de S.Paulo

Ouro Preto

Saímos de Rio Claro/SP em direção a Tiradentes/MG e já na entrada da Fernão Dias nos deparamos com o trânsito congestionado. Havia muito caminhão na estrada e apenas 2 vias. Só ficou um pouco pior quando pegamos a BR 265: via única! O melhor é que mesmo em pleno carnaval e essas dificuldades da estrada, chegamos apenas meia hora depois do previsto.

Veja a matéria completa no Blog de Daniel Adamo – world travel and cooking 

Santuário de Nossa Senhora da Conceição em Ouro Preto é fechado para reforma

O Santuário de Nossa Senhora da Conceição, que fica na Praça Antônio Dias, em Ouro Preto, Região Central de Minas Gerais, está fechado para revitalização. A igreja começou a ser desmontada na última segunda-feira e pode ficar interditada por até três anos. A obra faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas do governo federal. O Museu de Aleijadinho, que é um anexo do santuário, vai funcionar normalmente durante a obra.

A paróquia é uma das mais antigas de Minas (1707) e guarda o túmulo de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Ela compõe um conjunto de igrejas tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) na região do Bairro Antônio Dias. As outras paróquias são Igrejas Nossa Senhora das Mercês e Igreja São Francisco de Assis.

De acordo com a coordenadora do museu, Sidneia Santos, as celebrações da Semana Santa serão mantidas na São Francisco de Assis e Capela das Dores. “As igrejas de Ouro Preto têm quase todas a mesma idade. Quando começa a acontecer algum problema em uma, ficamos em alerta. Nos antecipamos e apresentamos um projeto no PAC. Se mantivéssemos aberta na Semana Santa, corria o risco de o Iphan pedir o fechamento durante as celebrações. Por isso a igreja já foi fechada”, afirma Santos.

Os bancos removíveis e outras peças da igreja já foram retirados e serão guardadas no salão paroquial durante obras, mas o início dos trabalhos ainda depende de autorização do Iphan. A coordenadora garante que será um obra de grandes proporções com desmontagem completa das estruturas do imóvel. O PAC Cidades Históricas atuará, inicialmente, em 44 cidades, de 20 estados brasileiros, com a disponibilização de R$ 1 bilhão de reais até 2015 em obras públicas. Outros R$ 300 milhões estão destinados a uma linha de crédito para proprietários de imóveis de cidades tombadas pelo Iphan.

Arquitetura

O santuário foi construído segundo o projeto e sob orientação do mestre de obras, Manoel Francisco Lisboa, pai do Aleijadinho. A área interna tem uma arquitetura típica de primeira metade do século 18 e a fachada foi modificada em meados do século 19, numa imitação neo-clássica da Capela de Nossa Senhora do Carmo de Ouro Preto. A decoração interna, atribuída também ao pai de Aleijadinho, é suntuosa com arcos majestosos no estilo joaino.

Via Diario de Pernambuco