Olhares do Brasil: Pirenópolis (GO), por Rafael Neddermeyer

Clique nas imagens para ampliar

A história de Pirenópolis é uma das mais relevantes do Estado de Goiás. A cidade foi fundada como um pequeno arraial em 1727. Na segunda metade do século XVIII, o crescimento de Pirenópolis ficou paralisado.

Apesar das mudanças das rotas comerciais da região a partir de 1850, o crescimento do centro urbano vai até o fim do século XIX, quando a cidade passou por um período de estabilidade econômica e cultural.do devido à crise da exploração do ouro.

Em 1800 acontece uma retomada da economia, alavancada pela agricultura (principalmente algodão), pecuária e comércio.Nos últimos anos o turismo em Pirenópolis ganhou importância, incrementando a economia local.

Tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1989, Pirenópolis está localizada há poucos quilômetros da cidade de Brasília (DF), no estado de Goiás.

A cidade possui curiosidades históricas e culturais e, ao mesmo tempo, locais para práticas de ecoturismo e esportes de aventuras.

Suas simpáticas ruas são preenchidas por casarões, prédios e igrejas em estilo barroco. Estas tradições culturais estimularam o desenvolvimento de um original artesanato local, em que se destacam a fabricação de joias de prata e móveis de madeira.

Há ainda o trabalho da fiação de colchas e cortinas e a criação de objetos em barro e pedra.

Iphan, Condephaat e Conpresp criam Escritório Técnico de Gestão Compartilhada para ampliar a proteção ao patrimônio histórico em São Paulo

Uma iniciativa pretende agilizar e ampliar as ações de proteção do patrimônio em São Paulo. Criado em dezembro de 2013 e posto em funcionamento na última semana, o Escritório Técnico de Gestão Compartilhada reúne técnicos das três esferas de patrimônio: Iphan, ligado ao governo federal, Condephaat, conselho de defesa do Estado, e o Conpresp, seu equivalente em nível municipal. “Era uma demanda antiga das áreas de patrimônio”, comenta Ana Lanna, presidente do Condephaat. “De maneira informal, os técnicos já tinham criado uma cultura de conversar em casos mais polêmicos. Mas isso não acontecia de forma organizada.”

Atualmente, um edifício com valor histórico e arquitetônico pode ser considerado patrimônio a ser preservado pela cidade, pelo Estado ou pelo País. Para proteger esses bens, existem organismos que funcionam nessas três esferas. Cada um com seus métodos e critérios para análise. O novo escritório vem para simplificar procedimentos. E agilizar o trâmite dos processos.

Na Bahia, já existe um sistema semelhante. Lá, um escritório congrega representantes do Instituto de Patrimônio Histórico Nacional, do governo estadual e da secretaria municipal de planejamento. “É uma experiência bem-sucedida de quase 30 anos”, pontua Anna Beatriz Galvão, superintendente do Iphan em São Paulo. A ideia, ela conta, é expandir o novo modelo a ser adotado agora na capital paulista para outros municípios do Estado.

Mesmo antes da publicação do convênio que formalizou a criação do escritório, o grupo já havia começado a trabalhar. Analistas se uniram para examinar casos emblemáticos para a cidade, como o Hospital Matarazzo e o Jockey Club, que havia destinado parte de sua área a uma tenda destinada para shows.

O Largo São Francisco é outro exemplo da ação em conjunto. O coletivo reviu o perímetro das áreas envoltórias de tombamento. Propôs uma redução dessa área e estabeleceu regras para sua conservação. Tudo isso, considerando as modificações urbanas que aconteceram na região nos últimos anos e as necessidades de preservação.

Todas as áreas envoltórias – que são aquelas que ficam ao redor de um bem tombado e, por conseguinte, também ficam protegidas – estão na mira do escritório recém-criado. “Nós vamos regulamentar, estabelecer regras comuns”, observa Nadia Somekh, presidente do Conpresp. “Em alguns casos existem estudos técnicos dos dois órgãos. Nós vamos nos reunir para estabelecer uma diretriz única.”

Para Mauro Pereira, diretor interino de preservação do DPH – Departamento de Patrimônio Histórico, o impacto das ações deve ser imenso. “Isso libera centenas de imóveis e facilita as ações, inclusive do poder público.”

Um dos principais objetivos do escritório é diminuir a burocracia e tornar os processos mais rápidos. Afinal, as queixas em relação ao tempo de análise necessário para um tombamento ou para qualquer resolução sobre um imóvel tombado é uma das principais críticas da sociedade civil a respeito da atuação dos órgãos de preservação. Com o novo órgão, o material para os conselhos deliberarem será produzido mais rapidamente. E, mais importante, haverá um mesmo estudo para embasar as decisões das três instâncias.

“Não adianta ter um projeto aprovado no Condephaat e no Conpresp se um órgão pede uma coisa e o outro pede uma diferente. Às vezes pedidos divergentes”, observa Ana Lanna. “Isso aconteceu, por exemplo, no caso do MAC Ibirapuera. Cada decisão ia para um lado. Só depois de nos reunirmos conseguimos chegar a um conceito comum e eliminar as divergências.” O próximo passo, conta a presidente do Condephaat, será a uniformização dos documentos exigidos. Hoje, cada órgão tem uma lista própria.

Mas simplificar procedimentos, ressalvam as especialistas em preservação histórica, não deve pôr fim à independência de cada órgão. “Os conselhos continuarão a deliberar de maneira independente. Mas, agora, nós podemos instruí-los da melhor forma possível.”

PROJETO PILOTO

Além de preservar e regulamentar, o órgão também pretende unir as forças para desenvolver projetos especiais. O Parque da Independência, no Ipiranga, deve ser o primeiro objeto sobre o qual os técnicos devem se debruçar. No pacote, estão incluídos o jardim, o Monumento à Independência e o Museu Paulista. “É uma tentativa de qualificar esse espaço, que merece uma atenção especial”, comenta a superintendente do Iphan. “Já estamos lidando com a perspectiva do bicentenário da Independência, em 2022.”

Entre as ações previstas estão a incorporação do último trecho visível do Rio Ipiranga à área do parque, o restauro dos edifícios e dos elementos paisagísticos, além da criação de um programa que articule as atividades do museu – atualmente fechado para restauro – com as do Monumento à Independência. “Em qualquer outro país, essa seria uma área tratada de maneira especial. É preciso valorizar São Paulo como o berço desse episódio histórico”, lembra a presidente do Conpresp. “Nós temos, é claro, que ser críticos em relação ao episódio da Independência. Mas não podemos negligenciá-lo. Temos que analisar o que significa essa independência para o Brasil.”

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Festa do Senhor do Bonfim recebe título de Patrimônio Imaterial Brasileiro

Festa do Senhor do Bonfim recebe título de Patrimônio Imaterial Celebração acontece há quase 3 séculos . foto: Divulgação/Fundação Palmares

A Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, em Salvador, na Bahia, estará em festa nesta quarta-feira (15). A ministra da Cultura, Marta Suplicy, e a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Jurema Machado, farão a entrega do título de Patrimônio Imaterial Nacional à Festa do Bonfim. O registro da Festa de Nosso Senhor do Bonfim como Patrimônio Cultural Brasileiro foi aprovado em 05 de junho do ano passado, pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural.

Realizada sem interrupção desde o ano de 1745, a festa, que atrai para a capital baiana o maior número de participantes, depois do carnaval, articula duas matrizes religiosas distintas – a católica e a afro-brasileira – assim como envolve diversas expressões da cultura e da vida social soteropolitana. Mais que uma grande manifestação religiosa da Bahia, a celebração é uma referência cultural importante na afirmação da cultura baiana, além de representar um momento significativo de visibilidade para os diversos grupos sociais.

À tarde, a ministra Marta Suplicy e a presidenta do Iphan, Jurema Machado, estarão no terreiro de Candomblé Ilê Axé Oxumaré, tombado – por unanimidade – pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural em novembro de 2013. Elas participarão de festividade em comemoração ao tombamento, com descerramento de placa comemorativa. A Casa de Oxumaré, sob os mais variados aspectos, constitui-se um dos mais relevantes templos da cultura afro-brasileira. É considerado um dos mais antigos  e tradicionais da Bahia, com grande reconhecimento social.

Afirmação da cultura baiana

Embora se recrie a cada ano, os elementos básicos e estruturantes da Festa do Bonfim permaneceram os mesmos, ou seja, a Novena, o Cortejo, a Lavagem, os Ternos de Reis e a Missa Solene. A celebração, que integra o calendário litúrgico e o ciclo de Festas de Largo da cidade de Salvador, acontece durante onze dias do mês de janeiro, iniciando-se um dia após o Dia dos Santos Reis, e encerrando-se no segundo domingo depois da Epifania, no Dia do Senhor do Bonfim.

Um dos pontos altos da festa, e que a individualiza no conjunto das Festas de Santo e Festas de Largo da cidade de Salvador, é a Lavagem do Bonfim, que se segue ao Cortejo, realizada por baianas e filhas de santo e acompanhada por um enorme contingente de moradores, turistas e de devotos do Senhor do Bonfim (Oxalá no candomblé).

Os rituais e celebrações da Festa ocorrem em diversos espaços da cidade de Salvador, tendo seu início o cortejo que sai da Igreja da Conceição da Praia, no bairro do Comércio, e seu ponto focal na Basílica Santuário Senhor Bom Jesus do Bonfim, situada na Colina Sagrada, na península de Itapagipe, cenário onde é realizada a lavagem das suas escadarias. Esta igreja, construída para abrigar a imagem do Senhor do Bonfim que foi trazida de Portugal no século XVIII, é um monumento tombado pelo Iphan desde 1938, registrado no Livro de Belas Artes. Como Festa de Largo, incorpora práticas religiosas do catolicismo e do Candomblé, associando o culto dos orixás ao culto católico tradicional.

Deu na Zero Hora : Tombamento de imóveis particulares acende polêmica sobre o patrimônio histórico no RS

Foto: Diogo Zanatta

No salão onde poderosos perderam fortunas com jogos e mulheres, presos foram interrogados durante o regime militar. Construído na década de 1930 e conhecido como Cassino da Maroca, um prédio de Passo Fundo é o cerne de uma ação do Ministério Público que se arrasta há sete anos.

O órgão quer tombar como patrimônio histórico o lugar que sediou um luxuoso cabaré, o Departamento de Ordem Política e Social (Dops), uma delegacia e um sindicato. Hoje, a construção que estampa os anos de abandono na pintura descascada e nas madeiras em decomposição é exemplo de uma polêmica comum no Estado. De um lado, protetores de imóveis importantes pela relevância histórica, arquitetônica ou cultural. De outro, donos de prédios que se dizem sem condições de conservar as construções.

Veja matéria completa no jornal Zero Hora

Museu da Borracha passará por reforma após 5 meses fechado

Museu mais antigo de Rio Branco está fechado há cinco meses (Foto: Veriana Ribeiro/G1)

O processo licitatório para as obras do Museu da Borracha, localizado no centro de Rio Branco, devem finalizar nesta semana, após o prédio ficar com portas fechadas para o público por cinco meses, devido o perigo de um incêndio. A expectativa dos gestores do Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural do Acre (DPHC) é que o contrato seja assinado até sexta-feira (23) e as obras sejam finalizadas no próximo mês.

“Teve um curto circuito na parte externa do prédio e após análise constatamos que havia a possibilidade de um incêndio se o prédio não fosse interditado. Nós ficamos com medo e fechamos, porque uma vez perdido aquele acervo nunca mais nós conseguiríamos reavê-lo”, comenta Libério de Souza, diretor do DPHC.

De acordo com o diretor, o processo de licitação é demorado e depende de outros setores do governo estadual. A falta de interesse das empresas de construções, segundo ele, dificultam a situação. “Esses pequenos projetos de R$ 30 a 60 mil as empresa não querem, elas acham que a margem de lucro é muito pequena então não concorrem. Até encontrar uma com interesse, responsabilidade, no nosso caso é demorado”, afirma.

O diretor comentou anda que o prédio está fechado para o público, mas que o setor administrativo continuou trabalhando normalmente e que as pesquisas ao acervo eram feitas, sempre que possível, em outro espaço. “Quando é uma pesquisa muito urgente a gente abre um exceção, explicávamos a situação e o pesquisador fazia o estudo sem utilizar energia na sacada da parte de fora. Os guias de visitação nós distribuímos para outros espaços do estado, como todos estão com equipes pequenas, aproveitamos para tirar as férias pendentes dos funcionários”, explicou.

O Museu da Borracha, inaugurado em 1978, é considerado o museu mais antigo de Rio Branco, de acordo com o diretor do Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural do Acre.

Via G1.com.br

População de Ji-Paraná, segunda maior cidade de Rondônia, sai em defesa da sua catedral ameaçada de demolição

No dia 2 de junho de 2013, deve ser celebrada a última missa na Catedral São João Bosco, em Ji-Paraná. Depois disso, a igreja e a praça serão demolidas para dar lugar a uma nova catedral.

Um abaixo assinado está movimentando a cidade de Ji-Paraná, no Estado de Rondônia, noroeste do Brasil. O movimento é em defesa da Catedral São João Bosco, ameaçada de demolição para dar lugar a uma nova Catedral. Diz a petição ON-LINE:

Em defesa da Catedral São João Bosco e da Praça Central de Ji-Paraná

“No dia 2 de junho de 2013, deve ser celebrada a última missa na Catedral São João Bosco, em Ji-Paraná. Depois disso, a igreja e a praça serão demolidas para dar lugar a uma nova catedral. Respeitamos a demanda da comunidade católica em querer melhores instalações. Não concordamos que, para isso, seja sacrificado um patrimônio histórico e cultural do município. A questão ultrapassa os muros da Igreja e diz respeito a um bem coletivo: um espaço que traduz em sua arquitetura marcas da construção de nossa cidade, fundamental para a memória de um povo que ainda está em formação. A catedral e a praça são fruto das mãos e do suor de gente que veio pra cá no processo de ocupação recente de nosso estado. Se ele for destruído, o que restará para contar essa história? Queremos uma solução, construindo a nova Catedral em outro local, tombando a igreja atual e a praça como patrimônio histórico e cultural de nossa cidade. Vamos lá, Preserva, Ji-Paraná! Preserve a igreja matriz, suas histórias, seus batismos, seus casamentos, as memórias deste povo feliz!”

Veja também > Demolição de catedral causa polêmica em Ji-Paraná, RO

Memória ameaçada

Por José Horta Manzano

Dos edifícios antigos que subsistem nas cidades brasileiras, raros são os que têm mais de um século. Poucas casas foram levantadas no século XIX num País escassamente povoado à época. Assim mesmo, dentre as poucas que restam, boa parte anda abandonada ao deus-dará.

Interesses comerciais primam sobre considerações históricas. Um século atrás, as cidades eram bem menores e seu perímetro construído, restrito. As aglomerações cresceram vertiginosamente. As construções mais antigas se encontram hoje, naturalmente, em regiões valorizadas, em pleno centro das metrópoles.

Com a valorização das regiões centrais, o proprietário de construções antigas tende a vendê-las a promotores. Novos edifícios ― altos e modernos ― surgirão dos escombros da História destruída. Para o brasileiro padrão, mais vale um belo prédio moderno de 20 ou 30 andares, dotado de todas as comodidades da vida moderna, do que um velho casarão. Diferentemente do que ocorre na Europa, a velha construção aparece como mancha urbana, excrescência a ser eliminada quanto antes. Afinal, em Miami não há essas velharias.

É triste, mas assim é. E assim seguimos. O grosso de nossa população não aprendeu a conceder o devido valor aos (poucos) testemunhos históricos que nos restam. E, como ninguém consegue dar o que não tem, os adultos de hoje estão desarmados para transmitir às novas gerações a formação e a informação que eles mesmos não receberam. Assim, nossos jovens não dispõem de fontes onde impregnar-se.

Um exemplo noticiado pela Folha de São Paulo de 16 de abril vem a calhar. A reportagem nos informa que a igreja de Nossa Senhora da Conceição, erguida em Ouro Preto na primeira metade do século XVIII (1724), foi obrigada a fechar suas portas ao público visto o risco de desabamento.

Há mais: o templo abriga o túmulo e o Museu do Aleijadinho, o maior escultor barroco que o Brasil conheceu. Cansado de esperar por providências das autoridades pagas para cuidar de nosso escasso patrimônio arquitetural, o próprio vigário tomou a iniciativa de interditar a igreja.

Há mais ainda: o edifício está tombado como patrimônio nacional desde 1949. Portanto, está há mais de 60 anos sob os cuidados do Poder Público.

A região das cidades históricas das Minas Gerais abriga o coração de nosso patrimônio arquitetônico. Ouro Preto, antiga capital da província, é sua expressão maior. Qualquer aluno de escola média sabe quem foi Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. O que nem todos sabem é que, do jeito que vão as coisas, nossos netos perigam apenas conhecer sua obra através de belas fotos, nada mais. Serão fotos digitais e, com um pouco de sorte, em alta resolução. Naturalmente.

Vamos esperar que o tempo, a umidade e os cupins se encarreguem da demolição? Não vai precisar esperar muito.

fonte : Brasil de Longe

O patrimônio não é só histórico, é também estratégico

Vale a pena ficar de olho na revisão do Plano Diretor Estratégico de São Paulo cujo debate recém começou.

Tenho particular esperança de que haverá maior participação popular desta vez, ao contrário da revisão de 2007, uma das causas que levou o desatualizado plano de 2002 a permanecer em vigência até hoje, do que resultaram abusos do setor imobiliário, o agravamento da mobilidade urbana e poucas ações sustentáveis.

Uma das dimensões da sustentabilidade é a cultural. A cidade não é só onde moramos, trabalhamos e estudamos. Não é só um amontoado de gente. A cidade é essencialmente um organismo social em mutação constante. Cada qual com um DNA único. Essa identidade é dada pela cultura local. Ela precisa ser forte, para não deixar que as mutações dilacerem a cidade. Para ser forte, a cultura local precisa unir, não segregar. Vale dizer, respeitar a diversidade de todas as raízes da comunidade.

A preservação dos bens culturais faz parte desse contexto. São edificações, paisagens, bens móveis e sítios arqueológicos que guardam nossa memória coletiva. Sem eles, sofreríamos de uma “labirintite urbana”, digamos assim. Não conseguiríamos nos equilibrar, andariamos pelas ruas com tonturas, com medo do inesperado. O patrimônio cultural nos acalma, nos faz sentir em casa fora de casa. Apesar dessa importância, em São Paulo os bens culturais têm sido tratados de uma forma individualizada, como fenômenos isolados do restante do tecido das cidades. Células cancerígenas que precisam ficar isoladas.

Leia aqui o Post Completo no Blog do Júlio Moreno

Começou o II Fórum CPC-USP – Debates sobre Patrimônio Cultural

A segunda edição do Fórum de Debates sobre Patrimônio Cultural do CPC-USP acontece nos dias 08, 15, 22 e 29 de abril, das 14h às 19h. Veja a programação completa e inscreva-se para participar como ouvinte.

DEBATES SOBRE O PATRIMÔNIO CULTURAL – II FÓRUM CPC-USP

O Fórum de Debates sobre o Patrimônio Cultural busca promover a discussão de projetos e pesquisas em andamento relativos aos diversos aspectos e modalidades do tema, como patrimônio arquitetônico, patrimônio cultural intangível,paisagens culturais, acervos, museus, entre outros.

Coordenação:

Prof.Dr. Antonio A. Arantes (UNICAMP) e Prof.Dr. José Tavares de Lira (USP)

Programação

08 de abril

14h

ABERTURA

14h30 às 16h30

HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA DO PATRIMÔNIO

Debatedora: Ana Lanna (FAU-USP/CONDEPHAAT)

Trabalhos:

1. O SPHAN/Pró-Memória e a preservação do pratrimônio cultural no Brasil (1975-1990)

2. Diálogos sobre a preservação do patrimônio cultural na América: o caso de Edson Motta no SPHAN-DPHAN
17h às 19h
PATRIMÔNIO INTANGÍVEL

Debatedor: José Guilherme Magnani (FFLCH-USP)

Trabalhos:

1. Inventário Nacional de Referências Culturais dos engenhos de açúcar, rapadura e cachaça da Paraíba: levantamento preliminar
2. A dinâmica histórica registrada nos processos de reconhecimento do Patrimônio Cultural Imaterial: comparação entre registros do Brasil e do México

15 de abril

14h às 16h

DESAFIOS À PRATICA PRESERVACIONISTA

Debatedora: Marly Rodrigues (Condephaat/ FAAP)

Trabalhos:

1. Os grilhões do patrimônio: reflexões sobre as práticas do IPHAN relacionadas aos quilombos

2. Efeitos colaterais na salvaguarda do patrimônio imaterial: a instrumentalização da memória da comunidade quilombola colombiana San Basílio de Palenque com finalidades políticas e econômicas

16h30 às 19h

MUSEUS E O PATRIMÔNIO CIENTÍFICO

Debatedor: André Mota (Museu Histórico FMUSP)

Trabalhos:

1. Patrimônio Cultural da Ciência e da Tecnologia: aproximações preliminares de uma análise comparativa entre a Casa de Oswaldo Cruz e o Museu de Astronomia e Ciências Afins 1985-2010
2. Aproximando os fósseis da população do Munícipio de Coração de Jesus (MG): uma discussão sobre patrimônio
3. O Museu de Anatomia Veterinária da FMVZ-USP (MAV): reflexões e perspectivas de um museu universitário

22 de abril

14h às 16h

ACERVOS E PRESERVAÇÃO DOCUMENTAL

Debatedora: Johanna Smit (ECA/USP)

Trabalhos:

1. A Produção documental dos Processos de Tombamento no IPHAN e a Portaria IPHAN n.11, de 11 de setembro de 1986
2. Reflexões sobre o processo de elaboração da Política de Preservação e Gestão de Acervos Culturais das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz – Fiocruz

16h30 às 19h

PRESERVAÇÃO E ACERVOS ICONOGRÁFICOS

Debatedora: Vânia Carvalho (Museu Paulista)

Trabalhos:

1. O Patrimônio Documental do Campus Seropédica da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
2. Vocabulário controlado para acervos fotográficos: desafios para desenvolvimento em arquivos públicos

29 de abril

14h às 16h

GESTÃO DA CONSERVAÇÃO E DO RESTAURO

Debatedora: Cláudia Carvalho (Fundação Casa de Rui Barbosa)
Trabalhos:

1. Plano de Gestão da conservação para edificações de valor cultural

2. Restauro e readequação do Edifício da Bolsa Oficial do Café de Santos/ Museu do Café
16h30 às 19h
PATRIMÔNIO E GESTÃO DA CIDADE
Debatedores: Nádia Somekh (DPH/SP e FAU-Mackenzie)
Trabalhos:

1. Um órgão. Nove cidades. Proteção, planejamento e gestão em conjuntos urbanos tombados pelos CONDEPHAAT
2. Políticas públicas e Patrimônio Cultural: situação de emergência em São Luiz do Paraitinga/ SP

3. Brasília-patrimônio: desdobrar desafios e encarar o presente
ENCERRAMENTO

EVENTO GRATUITO

INSCRIÇÃO DE OUVINTES

Interessados em participar como ouvintes do Fórum CPC 2013 devem enviar e-mail para 2forumcpc@gmail.com com os seguintes dados: Nome, e-mail, telefone e instituição.

A presença em 80% das sessões garante o certificado de participação.

Realização

Centro de Preservação Cultural da USP Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP

Periodo: 08/04/2013 22/04/2013

Horário: 13h às 19h
Local: Os eventos são realizados na sede do CPC-USP / Casa de Dona Yayá, Rua Major Diogo, 353, Bela Vista, São Paulo, SP.

fonte : blog arquitetura e lugar

Entrevista com Dulce Rosa de Bacelar Rocque, presidente do CiVViva — Cidade Velha-Cidade Viva em Belém do Pará

Dulce Rosa de Bacelar Rocque, presidente do CiVViva — Cidade Velha-Cidade Viva —, fala no Programa Jefferson Lima Livre dos problemas do patrimônio histórico edificado do primeiro bairro de Belém e suas peculiaridades; Dulce também aponta algumas possibilidades para amenizá-los, na falta de um projeto amplo, com recursos desburocratizados.

Veja a matéria no site da FAU – UFPA

Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho : um tesouro acessível a todos

Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho é um tesouro, praticamente escondido na cidade de Porto Alegre.

Se localiza em dois belos casarões construídos por Eugênio Pinto Cardoso Mallheiros, entre 1894 e 1895, em sua chácara na Estrada do Mato Grosso, atual Av. Bento Gonçalves. Atualmente estão em reforma.

Seu acervo está disponível a pesquisadores e ao público em geral, e inclui, além de documentos de origem administrativa, uma importante hemeroteca, com jornais, revistas e almanaques.

Os casarões, sobre um porão alto, tem estilo de chalé, com telhas francesas e lambrequim metálico verde.

Veja a matéria completa aqui, no blog Urbs Nova

Uma completa lista de Links sobre Patrimônio Cultural – Museus , Institutos , Bienais, Fundações, Associações, Bibliotecas

Nesta listagem de links em Ordem Alfabética , uma verdadeira geléia geral, tem de tudo relacionado a patrimônio histórico. Sites nacionais e internacionais de entidades ligadas ao assunto, museus, bibliotecas, fundações, Oscip, Ong´s, institutos. Se tiver algum link que não esteja listado aqui, nos envie que ficaremos felizes em atualizar.

Esperamos que de alguma forma isto seja útil.

ABOTTC – Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos Culturais,

Academia Nacional de Artes Plásticas,

Arte Web Brasil
ww.artewebbrasil.com.br,

Artista Net
www.artistanet.com.br,

ABRACOR – Associação Brasileira de Conservadores,
Academia Brasileira de Letras – ABL,
Agencia Española de Cooperación Internacional,
AIC – Instituto Americano de Conservação,
Alaska art gallery exhibits Ricker paintings,
Alfred Stieglitz: New Perspectives,
Amantes da Ferrovia,
Amsterdam – The Channels,
An Edward Hopper Scrapbook,
Ancient Egypt at the MFA,
Arqueológicas APAI – Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial,
Arquitetura e Design,
Arquivo Central do Sistema de Arquivos/Unicamp,
Arquivo do Estado de São Paulo,
Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro,
Arquivo Histórico do Museu Imperial,
Arquivo Nacional,
Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte,
Arquivo Público do Estado do Espírito Santo,
Arquivo Público do Pará,
Arquivo Público do Paraná,
Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano/Pernambuco,
Art and Exhibition Hall,
Art Conservation – Florença,
Art Entertainment Network Complex,
Art Historians’ Guide to the Movie,
Art Kara,
Artchive – Goya’s Black Paintings,
Arte Popular Brasileira,
Arteplastica,
Associação Brasileira de Encadernação e Restauro,
Associação Nacional de Preservação Ferroviária,

Art on the Net
www.art.net,

Art Museum Network – EUA
www.amn.org,

Associación Española De Gestores de Patrimonio Cultural,
Banco do Brasil – Cultura & Cidadania,
Barcelona – La web de la ciutad de Barcelona,
Bellas Artes, Museos y PatrimonioBIACS – Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Sevilha,
Bienal do Mercosul,
Bienal de São Paulo,
Bienalle di Venezia,
British Museum – Inglaterra
Biblioteca Aloísio Magalhães,
Biblioteca da Academia Brasileira de Letras,
Biblioteca da Marinha,
Biblioteca do Exército,
Biblioteca Luiz Saia,
Biblioteca Nacional da Espanha,
Biblioteca Nacional da França,
Biblioteca Nacional da Suíça,
Biblioteca Nacional de Portugal,
Biblioteca Nacional do Canadá,
Biblioteca Universitária/UFMG,
Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes,
Brasil – general information about Brazil,
Brasil Arqueológico,
Brasília – Fotos de Imersão,
Caixa Econômica Federal – CEF,
Caminhos do Sertão,
Campos dos Goytacazes – UFF,
Canada’s Digital Collections Program,
Cancun – Cancun online,
Cape – Town- visitor’s guide,
Casa do Patrimônio da Chapada do Araripe – Memorial do Homem Cariri,
Casa do Patrimônio de João Pessoa,
Casa do Patrimônio de Olinda,
Casa do Patrimônio de Ouro Preto – Programa Sentidos Urbanos,
Casa do Patrimônio de Recife,
Casa do Patrimônio do Vale do Ribeira SP,
Casa do Patrimônio Região dos Lagos,
Casas do Patrimônio do Rio de Janeiro,
Centro Cultural da Justiça Federal,

Centro Cultural Paço Imperial ,

Centro Cultural Banco do Brasil
www.bb.com.br/appbb,

Centro Cultural São Paulo
sampa3.prodam.sp.gov.br/ccsp,

Centro Cultural Perú Virtual,
Centro de Memória da Academia Brasileira de Letras,
Centro de Memória da Unicamp,

Centro de Referência e Informação em Habitação,

Centre Pompidou
www.centrepompidou.fr,

Charter of Cultural Tourism – ICOMOS,
Chile – Gochile,
Cidades Históricas Brasileiras,
Cirque du Soleil,
Cité des Sciences et de l`Industrie – La Villete,
CityBrazil,
Ciudad de México – mycity,
Ciudad Virtual de Antropología y Arqueología,
Civilization – Canadá,
CNFCP – Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular,
Collection Frieder Burda,
Comissão de Turismo do Parlamento Centroamericano,
Comissão do Patrimônio Cultural – USP,
CONDEPHAAT – SP,
CONFEA – Conselho Federal de Engenharia e Arquitetura,
Consejo de Monumentos Nacionales – Chile,
Corcoran Gallery of Art,
Cultura Caiçara,
Cultural Heritage Search Engine,
Cultural tourism program – Universidade de Barcelona,
Darci de Abreu Cardoso – Arte,
Defender.org,
Departamento do Patrimônio Histórico – São Paulo,
Detroit Institute of Arts,
Deutsche Stiftung Deukmal Schutz,
DGEMN – Direção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais- Portugal,
Diamantina – diamantina.com.br,
Digitisation of European Cultural HeritageDocumenta de Kassel,
Educação Patrimonial,
Egito – Egypt Tourism Net,
English Heritage,
Era uma vez uma cidade…,
Escritório Técnico do Iphan em Olinda,
Èský Krumlov – Official Information System,
Estações Ferroviárias,
Europa – União Européia,
Fernando Pessoa – Obra Poética,
Fin del mundo,
FIOCRUZ – Fundação Oswaldo Cruz,
First Impressionist Exhibition,
Foundation for Conservation & Research of Urban Traditional Architecture Índia,
Fundação Iberê Camargo,Fundação Arquivo e Memória de Santos,
Fundação Athos Bulcão,
Fundação Carlos Gomes,
Fundação Darcy Ribeiro,
Fundação Garcia D’Ávila,
Fundação Ondazul,
Fundação Oscar Niemeyer,
Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ,
Fundação Parque Zoológico de São Paulo,
Fundação Planetário,
Fundação Pró-Memória de São Caetano de Sul,
Fundação Roberto Marinho,
FUNDARPE – PE,
FURB – Universidade Regional de Blumenau,
FURG – Universidade do Rio Grande,
Galeria Pessoal Virtual – Oscar Araripe,
Galleria Borghese Official Site,
GETTY,
Glass Houses,
Grécia – Aegan,
Guggenheim Museum,
Hangar,
Harvard University,
Hemisfério Cultural,
Herein – European Heritage Network (Red Europea de Patrimonio con servicio de información permanente sobre patrimonio),
Heritage on the Web gateway,
Heritage Preservation,
Heritage Toronto,
Hong Kong- City of Life,,
IAB – RJ – Instituto de Arquitetos do Rio de Janeiro,
ICCROM- Library,
ICOM – Comitê Brasileiro,
ICOM – International Council of Museums,
ICOMOS – International Commitee on Cultural Tourism,
Instituto Latinoamericano de Museus – Costa RicaIdentidades AmericanasInstituto Português de Museus
Iepha – Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais,
IHGAL – Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas,
IIC- RJ: Instituto Italiano di Cultura, Rio de Janeiro,
Impressionism,
InfoARQ – UFSC – Grupo de Pesquisa da Informática em Arquitetura,
INPE- Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais,
Instituto Centrale di Restauro,
Instituto Latinoamericano de Museos,
Instituto Moreira Salles,
Instituto per l’Arte e il Restauro Palazzo Spinelli,
Instituto Português de Museus,
International Center for Research and Study on Tourism,
International Centre for the Study of Preservation and Restoration of Cultural Property/Iccrom,
International Child Art Foundation,
International Network on Cultural Policy – Canadá,
Interpretation Canada – The North’s turn,
IPHAE – RS,
IPHAEP – PB,
IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional,
Iphan em Santa Catarina,
Iphan em São Cristóvão – SE,
IPPAR – Instituto Português do Património Arquitectónico,
Instituto Pensarte – São PauloIrlanda – Ireland Travel
Itaú Cultural São Paulo
Journal of Conservation & Museum Studies,Kyoto National Museum – Japão,
L´officiel des Arts,
Labs Tech European Network (Laboratorios de Ciencia y Tecnología para la conservación del Patrimonio Cultural Europeo),
Le Splendeur de L’Art dans le plus grand Musée du Monde,
Les Peintures Murales de nos églises,
Les Projections du Cénotaphe,
Links to Other Heritage Conservation Sites,
Links to The Past – National Park Cultural Resources,
Londres,
Lopdell House Gallery,
Madrid – Softguía Madrid City Guide,
Mégalithes du Morbihan,
Metrô – SP,
Michigan State University,
Missões Jesuíticas dos Guaraní,
MIT – Massachusetts Institute of Technology,
Museo Bellas Artes de Bilbao – Espanha,
www.museobilbao.com
Moçambique – página Oficial de Moçambique,
Monet’s House and Garden at Giverny,
Monticello,
Montreal – Montreal Oficial Tourist Information,

MultArte,

Metropolitan Museum of Art – EUA
www.metmuseum.org,

Musée des Arts et Metiers,
Musée Rodin,
Museo de la Palabra y la Imagen/El Salvador,
Museo de la Patagonia/Argentina,
Museo delle Genti d’Abruzzo,
Museo Jose Hernandez/Argentina,
Museo Nacional de Antropologia/México,
Museu Carlos Costa Pinto – Salvador – BA,
Museu Casa de Portinari- Brodowski – SP,
Museu Comarcal Salvador Vilaseca,
Museu da Cachaça/Pernambuco,
Museu da Imagem e do Som/Paraná,
Museu da Inconfidência,
Museu da Música de Mariana,
Museu da Produção Rural – Freilichtmuseum Ballenbergz,
Museu da República,
Museu d’Arqueologia de Catalunya,
Museu de Arqueologia e Etnologia – UFBA,
Museu de Arqueologia e Etnologia – USP,
Museu de Arte Contemporânea do Paraná/Curitiba,
Museu de Arte de São Paulo – MASP,
Museu de Arte Moderna da Bahia,
Museu de Arte Moderna de São Paulo,
Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro,
Museu de Biologia Professor Mello Leitão,
Museu do Açude,
Museum.com
www.museum.com,
Museu do Brinquedo – Sintra,
Museu Histórico e Diplomático Palácio Itamaraty,
Museu Histórico Nacional,
Museu Imperial,
Museu Lasar Segall,
Museu Nacional da Quinta da Boa Vista,
Museu Nacional d’Art de Catalunya,
Museu Nacional de Belas Artes,
Museu Raymundo Ottoni Castro Maya,
Museu Victor Meirelles,
Museu Villa Lobos,
Museum of Ancient and Modern Art,
Museum of Bad Art (MOBA),
Museum of Contemporary Art – Sydney,
Museum of International Folk Art (MOIFA), Santa Fe NM,
Museum of Latin American Art,
Museum of Modern Art, New York (MoMA),
Museum of Natural History, Londres,
Museum of Outdoor Arts,
Museums and The Web 2000,

Museums in Toronto – Museum Studies,

Musée D’Orsay – França
www.musee-orsay.fr,

Musée du Louvre
www.louvre.fr,

Museo Barraccco – Itália
www.roma2000.it,

Museo Bellas Artes de Bilbao – Espanha
www.museobilbao.com,

Museo de Arte Costarricense – Costa Rica
www.musarco.go.cr,

Museo de Arte Carrillo Gil – México
www.macg.inba.gob.mx,

Museo de Arte Visual – Chile
www.mav.cl,

Museu del Corso – Itália
www.museodelcorso.it,

Museo del Prado – Espanha
museoprado.mcu.es,

Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia – Espanha
www.artmag.co,

Museo Nacional de Artes Visuais – Uruguai
www.mnav.gub.uy,

Museo Nacional de Bellas Artes – Argentina
villamayor.com.ar,

Museo Nacional de Bellas Artes – Chile
www.puc.cl,

Museo Nacional de Colombia
www.museonacional.gov.co,

Museum of Modern Art – EUA
www.moma.org,

Museus da Rússia
www.museum.ru,

Museu Brasileiro de Escultura
www.mube.art.br,

Museu de Arte Contemporânea de Niterói
www.niteroi.com.br,

Museu de Arte Contemporânea do Paraná
www.pr.gov.br/mac,

Museu de Arte Contemporânea de São Paulo
www.mac.usp.br,

Museu de Arte de São Paulo
masp.uol.com.br,

Museu de Arte Moderna da Bahia
www.mambahia.com.br,

Museu de Arte Moderna de São Paulo
www.mam.org.br,

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro
www.mamrio.com.br,

Museu Imperial do Rio de Janeiro
www.museuimperial.gov.br,

Museu Oscar Niemeyer – Paraná
www.pr.gov.br/mon,

Museu Virtual de Arte Brasileira
www.museuvirtual.com.br,

Museus Castro Maya – Rio de Janeiro
www.museuscastromaya.com.br,

MY STUDIOS- VERMEER,
National Center for Preservation Technology and Training,
National Gallery of Arts,
National Gallery of Australia,
National Maritime Museum,
National Museet,
National Trust/EUA,
New York – New York Convention & Visitors Bureau,
New Zealand National Maritime Museum,
Newfoudland Museum – Viking Millennium Travelling Exhibition,
Northeast Document Conservation Center,
Nova Zelândia – Virtual New Zealand,
Oaxaca – Oaxaca Tourist’s Guide,
OEI – Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura,
ONU – United Nations Home Page,
Organização das Cidades Patrimônio Mundial/OCPM,
Organização dos Estados Americanos,
Organizations Involved in Heritage Conservation,
ORINOCO,
Os Melhores do Brasil,
Ouro Preto – Patrimônio Cultural da Humanidade,
Oxford University,
Pacific Language Institute,
PACT Red europea de cooperación ciéntifico-técnica aplicada al Patrimonio Cultural,
Páginas Alemãs,
Paraty – paraty.com,

Paraty – paraty.com.br,

Pinacoteca Barão de Santo Ângelo
www.ufrgs.br/acervoartes,

Paris – Montemartre Paris Welcome,
Paris – Paris Pages,
Paris – Paris Tourism,
Paris – The Paris Pages,
Pirenópolis – site oficial,
Politechnika Gdanska,
Politechnika Gdanska- Preservation Engeenering Heritage Gdansk Outlook 2000,
Polônia – Poland Home Page,
Portland Art Museum,
Projeto Portinari,
PTN – Preservation Trades Network,
PUCCAMP – Pontíficia Universidade Católica de Campinas,
PUC-MG – Pontíficia Universidade Católica de Minas Gerais,
PUC-RJ – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro,
PUC-SP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo,
Quebec – Culture,
Quipus Cultural Foundation – Bolivia,
Rede ALCUE Patrimônio Cultural,
Reflexo – Fotos e Textos,
Restauro da Igreja Matriz de Pirenópolis,
RICYT Red Iberoamericana de Indicadores de Ciencia y Tecnologia,

Roma – Enjoy Rome,

Revista Museus
www.revistamuseu.com.br,

San Francisco – San Francisco Convention & Visitor’s Bureau,
San Francisco – San Francisco Reviews of Hotels,
Santiago de Compostela – Caminho de Santiago,
São Miguel das Missões,
São Paulo – sampa.art.br,
São Paulo Café Turismo,
SBPC- Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência,
Science et Patrimoine Culturel,
Sculpture Garden Feature,
SESC – Serviço Social do Comércio,
Sheboygan Art Museum,
SIRCHAL – Sitio Internacional sobre la revitalización de centros Históricos de ciudades de América Latina y el Caribe,
Site Officiel du Musée du Louvre,
Sítio Roberto Burle Marx (SRBM),
Skirball Cultural Center,
Smithsonian American Art Museum,
SOS – Save Outside Sculpture,
Stanford University Home Page,
Sydney – Australia’s Travel and City Guide,

The Art Institute of Chicago,

The International Council of Museums – França
icom.museum,

The Baltimore Museum of Industry,
The British Council – Brazil,
The Center for Intuitive and Outsider Art,
The Centre for Cross- Cultural Research – Australia,
The Franklin Institute Science Museum,
The Frick Collection and Frick Art Reference Library,
The James Joyce Centre,
The Library of Congress,
The Metropolitan Museum of Art,
The Minneapolis Institute of Arts – Modernismo,
The Natural History Museum,
The Robert Gumbiner Foundation,
The State Hermitage Museum,
Theatro Municipal de Niterói,
Trancoso – trancoso.com,
UA – Universidade do Amazonas,
UCB – Universidade Castelo Branco,
UCPel – Universidade Católica de Pelotas,
UCSAL – Universidade Católica de Salvador,
UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina,
UEL – Universidade Estadual de Londrina,
UEM – Fundação Universidade do Estado de Maringá,
UEMG – Universidade do Estado de Minas Gerais,
UEPG – Universidade Estadual de Ponta Grossa,
UESB – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia,
UESC – Universidade Estadual de Santa Cruz,
UFAC – Universidade Federal do Acre,
UFAL – Universidade Federal de Alagoas,
UFBA – Universidade Federal da Bahia,
UFC – Universidade Federal do Ceará,
UFES – Universidade Federal do Espírito Santo,
UFF – Universidade Federal Fluminense,
UFG – Universidade Federal de Goiás,
UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora,
UFLA – Universidade Federal de Lavras,
UFMA – Universidade Federal do Maranhão,
UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais,
UFMS – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul,
UFMT – Universidade Federal de Mato Grosso,
UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto,
UFPA – Universidade Federal do Pará,
UFPB – Universidade Federal da Paraíba,
UFPel – Universidade Federal de Pelotas,
UFPI – Universidade Federal do Piauí,
UFPR – Universidade Federal do Paraná,
UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul,
UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro,
UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte,
UFRPE – Universidade Federal Rural de Pernambuco,
UFRRJ – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro,
UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina,
UFSCar – Universidade Federal de São Carlos,
UFSM – Universidade Federal de Santa Maria,
UFU – Universidade Federal de Uberlândia,
UFV – Universidade Federal de Viçosa,
UMC – Universidade de Mogi das Cruzes,
UNB – Universidade de Brasília,
UNEMAT – Universidade do Estado de Mato Grosso,
Unesco,
Unesco – Brasil,
UNESP- Universidade Estadual Paulista,
UNICAMP- Universidade Estadual de Campinas,
UNICAP – Universidade Católica de Pernambuco,
UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo,
UNIJUÍ – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul,
UNIOESTE – Universidade Estadual do Oeste do Paraná,
UNIR – Universidade Federal de Rondônia,
UNIRIO – Universidade do Rio de Janeiro,
UNISC – Universidade de Santa Cruz do Sul,,
UNISO – Universidade Federal de Sorocaba,
UNITINS – Universidade Federal de Tocantins,
Universidade Estadual de Santa Cruz,
Universidade Federal de Pernambuco – mestrado em desenvolvimento urbano,
Universidade Politécnica de Valência,
Universidade sem Fronteiras,
Universidade Virtual,
University of Dublin,
University of Sydney- Introduction Archaeology,
University of Toronto,
University of Victoria – Cultural Resource Managment Progra,
UNOESC – Universidade do Oeste de Santa Catarina,
UPF – Universidade de Passo Fundo,
Upper Midwest Rock Art Research Association/Umrara,
USP – Universidade de São Paulo,
UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro,
Veliky Novgorod for Travellers. Novgorod State Museum,
Victoria and Albert Museum London,
VideoMuseum,
Virtual Leonardo,
VituArt – Galeria Virtual de Arte,
Whitney Museum of American Art,
World Tourism Organization,
World Wide Arts Resources