Igarassu/PE celebra 43 anos de tombamento

foto: Nelson Khron/reprodução facebook

foto: Nelson Khron/reprodução facebook

Canoa grande, esse é o significado do nome da cidade pernambucana Igarassu. Tida como um dos pontos mais importantes de ocupação portuguesa do litoral nordestino, hoje, a cidade celebra 43 de anos tombamento. Devido ao seu valioso conjunto arquitetônico, o reconhecimento realizado pelo IphanGovBr abarca também cerca de 250 edificações que mantém suas características originais dos séculos XVII e XVIII.

Leia sobre esta cidade brasileira caracterizada por seu traçado singelo e harmonioso: http://goo.gl/ja9t3o

fonte : Iphan

Forte Orange completa um ano de portas abertas

Foto: Rafael Medeiros

Devolvido à população após o investimento de R$ 350 mil do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) para a realização de uma série de obras e ações de restauração e requalificação, o Forte Orange, localizado na Ilha de Itamaracá, litoral norte de Pernambuco, já recebeu mais de 130 mil visitantes.

O Forte, que fica em uma área de grande importância histórica e cultural e com exuberante paisagem, foi tombado pelo IPHAN em 1938 e na década de 1970 foi objeto de restauração fundamentada por pesquisas arqueológicas, históricas e arquitetônicas. O IPHAN em Pernambuco vem viabilizando a sua manutenção de modo a preservar a memória da presença holandesa e portuguesa e a importância dessa edificação militar para a historiografia brasileira.

Situado na entrada sul do Canal de Santa Cruz, local onde teve início a colonização portuguesa no Nordeste do Brasil, em 1516, foi construído em 1631 pelos holandeses, que invadiram Pernambuco em busca da riqueza promovida pela atividade mercantil da cana-de-açúcar. A obra é um dos marcos do sistema de defesa do litoral brasileiro e em 1654, após a derrota dos holandeses pela Coroa portuguesa, o Forte foi abandonado, ficando em ruínas. Foi recuperado pelos portugueses em 1696 retomando sua função militar.

As intervenções
Entre 2011 e 2012, visando à reabertura do Forte Orange ao público, o IPHAN executou diversas obras, como revisão de telhados; construção de passarelas em madeira para circulação dos visitantes sobre os terraplenos do forte; implementação de sinalização interna e de painel expositivo sobre pesquisas arqueológicas realizadas, bem como projetos de restauração e requalificação do Forte Orange e do seu entorno. Além das ações já realizadas, nos próximos anos, as metas fazem jus ao valor histórico e cultural da fortaleza para o Brasil: em curto prazo estão previstas intervenções com recursos na ordem de 10 milhões de reais provenientes Prodetur.

A restauração arquitetônica do edifício do Forte Orange, considerando o próprio edifício como elemento museológico; a recuperação da praça d’armas, localizando os vestígios das fundações do forte holandês (encontrados durante as pesquisas arqueológicas); implantação de salas expositivas sobre a história da fortificação, incluindo exposição permanente sobre o Forte Holandês; são exemplo dos projetos já elaborados. Em médio prazo, está previsto o investimento de cerca de 20 milhões de reais em obras de contenção do avanço do mar e melhoria dos acessos, com a  duplicação da rodovia de acesso e construção de ponte de madeira sobre o manguezal, bem como a interligação dos elementos turísticos,  com a implantação da Trilha dos Holandeses ligando a fortificação à Vila Velha, passando pela Igreja de São Paulo e pelas ruínas da casa onde abrigou-se o Padre Tenório, personagem da Revolução Pernambucana de 1817.

Serviço:
Forte Orange
Horário de Visitação:
9h às 17h, de terça a domingo
Telefone: (81) 3544.1080
Local: Estrada do Forte, s/n, Itamaracá, Pernambuco

Preservação do Parque de Jaboatão do Guararapes é tema de Encontro Nacional

Sem título12Um estudo sistemático sobre aspectos urbanísticos, físicos, socioeconômicos, ambientais, históricos e fundiários do Parque Histórico Nacional dos Guararapes, localizado em Recife (PE), está sendo realizado por técnicos de diversos órgãos da esfera federal e estadual hoje e amanhã, 15 de outubro.

O objetivo do Encontro Nacional, que conta com especialistas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), da Secretaria do Patrimônio da União, do Exército, da Universidade Federal de Pernambuco, da Prefeitura local, dentre outros, é elaborar um plano urbanístico e de Regularização Fundiária para os assentamentos que estão em área de domínio da União.

Confira aqui a programação completa
Confira o folder
Confira o artigo

Serviço:
Encontro Nacional do Projeto Plano de Regulamentação Fundiária do Assentamento Habitacional da área de Domínio da União do Parque Histórico Nacional dos Guararapes-PE.
Data:
14 e 15 de Outubro a partir das 8h.
Local: Mini Auditório do CFCH/UFPE – Av. Jorn. Aníbal Fernandes, Cidade Universitária, Recife-PE.

Oficina com Galhos de Árvores é realizada em Igarassu (PE)

Madeira é a matéria-prima principal de boa parte dos artesãos, escultores de peças sacras, brinquedos e personagens diversos, que se inspiram no cotidiano e no passado.

Muitos seguem tradições de família, outros optam por aderir a mestres que se destacaram passando seus ensinamentos. Mas todos têm algo em comum: o amor com que criam suas peças, o amor pelo que fazem e por sua região.

E como parte da programação da Festa de São Cosme e São Damião, padroeiros da cidade de Igarassu (PE), durante o mês de setembro, a Casa do Patrimônio de Iguarassu, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Pernambuco (IPHAN-PE), sediará a Oficina de Esculturas com Galhos de Árvores, ministrada pelo premiado mestre artesão José Abias.

A inscrição do evento que acontece de 09 a 11 deste mês pode ser feita junto a Secretaria de Turismo, Cultura e Esportes do Município, promotora da Oficina.

Serviço:
Oficina de Esculturas com Galhos de Árvores
Período:
09 a 11 de setembro
Endereço: Sobrado do Imperador / Casa do Patrimônio de Igarassu, à Rua Barbosa Lima, nº 122, Sítio Histórico, Igarassu (PE).

Olinda tem mostra fotográfica de seu cotidiano histórico

Sem título-1A partir de 12 de setembro, o Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional em Pernambuco (IPHAN-PE) recebe a exposição Olinda Patrimônio Cotidiano.

A Mostra que estará disponível na Casa do Patrimônio de Iguarassu possui realização e curadoria do Instituto de Cooperação Econômica Internacional (ICEI –Brasil) e traz trabalhos de 11 fotógrafos que que registraram em suas lentes o povo, símbolos, ritos e crenças local. Como parte desta ação cultural, no período de 19 a 23 de agosto , foi realizada na Casa do Patrimônio do Município a oficina de fotografia artesanal com a participação de jovens moradores de Igarassu.

A oficina foi um trabalho de educacional e teve como intuito aproximar a comunidade do conceito de patrimônio cultural. Por meio da técnica da fotografia analógica, os alunos pesquisaram sobre o patrimônio material e imaterial de sua cidade, retratando o cotidiano e sua realidade histórica e cultural, comunicando e atualizando visões e interpretações sobre o patrimônio.

Programação
Sem título-1 - CopiaA gastronomia local também estará presente na abertura da exposição, que contará ainda com apresentação do maracatu nação Estrela Brilhante e a entrega dos certificados aos participantes da oficina artesanal de fotografia.

Confira aqui a programação completa

Serviço:
Exposição fotográfica – Olinda Patrimônio Cotidiano
Data:
12 de setembro de 2013.
Local: Sobrado do Imperador, Casa do Patrimônio – Iguarassu (PE)

VI Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco

A Secretaria de Cultura de Pernambuco e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco – Fundarpe, em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, Prefeitura da Cidade do Recife e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal de Pernambuco – PPGA/UFPE convidam para a VI Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco, que acontecerá de 12 a 18 de agosto de 2013, nas cidades de Recife, Olinda e Igarassu.

A semana enfocará a compreensão do Patrimônio Cultural através de exposições, mesas-redondas, seminários, encontros, ações educativas e celebrações, elegendo como tema central: Patrimônio cultural e políticas públicas: (des)envolvimento e desafios.

Programação:

Recife sedia a 2º Oficina sobre o Patrimônio Religioso

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Pernambuco (IPHAN-PE) promove a 2º Oficina sobre o Patrimônio Religioso no estado a partir das 9h do dia 20 de agosto na sede do instituto em Recife.

O evento é gratuito e aberto a todos os públicos. O objetivo é elaborar um documento propondo proteção e gestão do patrimônio religioso em Pernambuco. A oficina aborda também contextos históricos e socioculturais do período de ocupação do território pernambucano, pela perspectiva da religião.

A oficina pretende, ainda, resgatar e salvaguardar as dinâmicas sociais que envolvem o universo religioso e fornecer subsídios para o Plano de Preservação para o patrimônio religioso em Pernambuco. Com a proteção e a gestão do patrimônio religioso, outras gerações terão a oportunidade de conhecer e resgatar as dinâmicas sociais que envolvem o universo religioso do estado.

Serviço:
2º Oficina sobre Patrimônio religioso em Pernambuco
Data:
20 de agosto de 2013, às 9h
Local: IPHAN-PE
Rua Oliveira Lima, 824 – Boa Vista – Recife – PE
Informações: (81)3228-3011

IPHAN está presente na 65º Reunião da SBPC, em Recife

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) participa de 21 a 26 de julho, no campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Recife-PE, da 65º Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Com a temática Ciência para o Novo Brasil, o espaço constitui-se como um importante fórum tanto para a difusão dos avanços da ciência nas diversas áreas do conhecimento quanto para debates de políticas públicas para a ciência e tecnologia.

O IPHAN integra o evento com um estande que oferecerá ao visitante das 8h às 18h, variadas publicações para consulta e compra. O objetivo é promover a difusão, o conhecimento e a sensibilização da sociedade para a preservação do patrimônio cultural brasileiro.

A Reunião SBPC
Realizada desde 1948, com a participação de representantes de sociedades científicas, autoridades e gestores do sistema nacional de ciência e tecnologia, o evento é realizado sempre em universidade pública variando anualmente nos estados brasileiros.

A programação científica é geralmente composta por conferências, simpósios, mesas-redondas, encontros, sessões especiais, minicursos e sessões de pôsteres. Acontecem também, durante a Reunião Anual, eventos paralelos, como a SBPC Jovem (programação voltada para estudantes do ensino básico), a ExpoT&C (mostra de ciência e tecnologia) e a SBPC Cultural (apresentação de atividades artísticas regionais e discussões sobre temas relacionados à cultura.

Serviço:
65º Reunião anual da SBPC
Data:
21 a 26 de julho de 2013
Local: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) – Campus Recife
Endereço: Av. Prof. Moraes Rego, 1235 – Cidade Universitária, Recife – PE

Casa do Patrimônio de Olinda recebe oficina de fotografia

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Pernambuco (IPHAN-PE), por meio da Casa do Patrimônio de Olinda, recebe, entre os dias 23 de julho e 02 de agosto, a oficina de fotografia Retratos, memória coletiva e identidade comunitária.

O objetivo é pensar a preservação do patrimônio cultural do Sítio Histórico de Olinda por meio da reconstrução da memória coletiva de seus moradores e sua relação com o sítio histórico, representado por seu patrimônio edificado e pelas manifestações culturais populares locais. A intenção é abranger moradores dos bairros do Amparo, Amaro Branco, Bonsucesso, Carmo, Guadalupe e Varadouro, localidades inseridas no Polígono de Tombamento do Sítio Histórico de Olinda.

A oficina integra o projeto Olinda, Patrimônio Cotidiano – memória coletiva de seus moradores, iniciativa do Instituto de Cooperação Econômica Internacional (ICEI), e financiada pelo Fundo de Incentivo à Cultura do Governo de Pernambuco (Funcultura/Fundarpe). A ação também conta com a parceria da Secretaria de Patrimônio e Cultura da Prefeitura Municipal de Olinda (SEPAC/PMO), e os resultados serão exibidos no dia 16 de agosto de 2013, na Casa do Patrimônio de Olinda, por ocasião da 6ª Semana do Patrimônio.

Itália: De velhas cidades a Centros Históricos é tema de palestra no IPHAN-PE

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Pernambuco (IPHAN-PE), em parceria com o Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal pernambucana, promovem nesta quinta-feira, 20 de junho, às 09 horas, a palestra De velhas cidades a Centros Históricos: A Dimensão Urbana da Tutela na Itália entre História e Atualidade.
Sem título-1O encontro tem como palestrante o arquiteto Andrea Pane, professor da Università Degli Studi, de Nápoles, Itália no auditório da Instituição. Andrea é mestre em Arquitetura (1999) e doutor em Conservação do Patrimônio Arquitetônico (2003) pela mesma Instituição em que leciona. Ele é o responsável em 2013 pela disciplina Teoria e História da Restauração. Pane também é arquiteto do Ministério de Patrimônio e Cultura da Itália, tendo 67 publicações (incluindo duas em português) e participado de mais de 40 conferências nacionais e internacionais. Andrea Pane é neto de Roberto Pane, um dos mais importantes nomes do restauro na área de Arquitetura e Urbanismo.

Casa do Patrimônio de Igarassu (PE) tem palestras sobre o Meio Ambiente

O patrimônio natural – florestas, manguezais, matas ciliares, rios, os recursos naturais, a água.

O patrimônio cultural material – os espaços construídos e agenciados pelo homem, edifícios, casarios, ruas, praças, largos, os acervos arqueológicos, as artes arquitetônica e imaginária.

O patrimônio cultural imaterial – o saber e o fazer dos povos.

As paisagens culturais.

Todos esses elementos forma o Patrimônio Ambiental. Eles identificam um lugar e o jeito de ser e viver das pessoas que o habitam. Para falar sobre esse aspecto do Patrimônio Cultural o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional  em Pernambuco (IPHAN-PE), em parceria com a Prefeitura de Igarassu, promove a palestra Água e Meio Ambiente, na Casa do Patrimônio, no próximo dia 15 de maio, às 15h.

Na palestram, aberta à população, o professor Josenildo Tavares da Silva vai fazer uma ampla abordagem sobre o tema. A Casa do Patrimônio funciona no Sobrado do Imperador, à rua Barbosa Lima, nº 122, Sítio Histórico de Igarassu. Outras informações no Escritório Técnico do IPHAN em Igarassu pelo telefone (81) 3545- 0307.

Veja o convite [Aqui]

Oficina em Pernambuco propõe proteção do patrimônio religioso

Na próxima segunda-feira dia 29 de abril acontece no Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional em Pernambuco (IPHAN-PE) uma Oficina sobre o Patrimônio Religioso no estado. O evento é gratuito e aberto a todos os públicos. O objetivo é elaborar um documento propondo proteção e gestão do patrimônio religioso em Pernambuco, buscando a história oral e abordando contextos históricos e socioculturais do período de ocupação do território pernambucano, pela perspectiva da religião.

Com a proteção e a gestão do patrimônio religioso, outras gerações terão a oportunidade de conhecer, resgatar e salvaguardar as dinâmicas sociais que envolvem o universo religioso do estado. A Oficina pretende ainda resgatar e salvaguardar as dinâmicas sociais que envolvem o universo religioso; preservar e divulgar os saberes e ofícios dos envolvidos na no contexto religioso; fornecer subsídios para ações de salvaguarda e para o Plano de Preservação para o patrimônio religioso em Pernambuco.

Veja o convite [Aqui]

Serviço
Oficina sobre Patrimônio religioso em Pernambuco
Data:
29 de abril de 2013, às 9h30
Local: IPHAN-PE
Rua Oliveira Lima, 824 – Boa Vista – Recife – PE
Informações: (81)3228-3011

Editais e seleções 2013

Editais e Seleções – IPHAN no Piauí

Editais e Seleções – IPHAN em Pernambuco Editais e Seleções IPHAN Mato Grosso do Sul

Edital de seleção para Projetos de Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial relacionado à música, canto e dança de comunidades afrodescendentes localizadas no território brasileiro

Solicitações de cotação

Solicitação de Cotação n° 001/2013

Resultado – Solicitação de Cotação N° 001/2013

Seleções

Projeto 914BRZ4012 – EDITAL DE SELEÇÃO N° 01/2013

Seleções  encerradas

Projeto 914BRZ4005 – EDITAL DE SELEÇÃO N° 01/2013

Projeto 914BRZ4011 – EDITAL DE SELEÇÃO N° 01/2013 Projeto 914BRZ4011 – EDITAL DE SELEÇÃO N° 02/2013

Editais e Seleções 2012

Saiba sobre os editais lançados em 2012 e seus resultados

Editais e Seleções 2011

Saiba sobre os editais lançados em 2011 e seus resultados Concurso Iphan 2010 Acompanhe o processo acesse os editais e portarias 

Editais 2009 Saiba sobre os editais lançados em 2009 e seus resultados

Esqueletos encontrados no Bairro do Recife contam histórias dos séculos 16 ou 17

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Como num jogo de quebra-cabeça, arqueólogos da Fundação Seridó que descobriram um cemitério com 14 esqueletos humanos no Bairro do Recife combinam peças para identificar a origem dos sepultamentos, associados aos séculos 16 ou 17. As pistas são retiradas de ossos e dentes, onde estão preservadas informações capazes de revelar doenças, hábitos de vida e até a raça. O dente incisivo de um deles, por exemplo, não apresenta características de ancestralidade africana ou indígena.

“Provavelmente é um europeu”, diz o arqueólogo forense Sérgio Monteiro, professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). No osso da tíbia de um dos esqueletos há sinais de um tumor perto do joelho e calcificação junto do calcanhar, indicando que a pessoa mancava. Marcas no dente de outro esqueleto evidenciam fumante de cachimbo. “O dente se desgasta no lugar onde se prende o cachimbo”, explica.

Ossos ainda em processo de formação revelam a existência, no grupo, de pelo menos três adolescentes com idades de 15 a 17 anos. Talvez fossem grumetes (marinheiros em início de carreira), pondera o professor. Outro esqueleto tem o crânio perfurado, o que pode ter provocado a morte. Até agora, não há indícios de covas, caixões e roupas (botões e metais).

“Pela postura dos esqueletos, eles foram enterrados em covas muito estreitas ou envoltos num manto, com o corpo comprimido. Como não há sinais de caixão, podem ter sido deixados diretamente no chão.” Os corpos enrolados em mortalhas sugerem sepultamentos judaicos, comenta o professor. A hipótese de vítimas de doença em massa (peste) ou de guerra não é descartada.

A medição do crânio, diz ele, ajudará a revelar informações sobre a raça. Exames de isótopos estáveis nos dentes funcionarão como indicadores para descobrir do que se alimentavam. “Com isso, também podemos saber de onde vieram. Pelos dentes bem preservados, a comida era mole.” Esta semana, os pesquisadores iniciaram outra etapa do trabalho, o registro dos sepultamentos com o uso do scanner laser, do Instituto Nacional de Paleontologia e Arqueologia do Semiárido do Nordeste, criado por professores e pesquisadores de universidades federais.

Matéria Original Via Jornal Do Commercio

Escola de Música de Igarassu (PE) forma mais uma turma de músicos adolescentes

No próximo dia 2 de março, às 20h, será realizada, em Igarassu, Pernambuco, a terceira edição do Concerto anual da banda Heitor Villa Lobos, comemorando a conclusão de mais uma turma de músicos adolescentes da Escola de Música. A apresentação será em frente ao Sobrado do Imperador, onde funciona a Casa do Patrimônio e o Escritório Técnico do Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (IPHAN) na cidade.

O Concerto é resultado da parceria entre o IPHAN-PE, por meio da Casa do Patrimônio de Igarassu, e a Associação Pró-Cidadania, com apoio da Prefeitura Municipal. A escola é ligada a Associação Pró-Cidadania, que forma anualmente cerca de 40 jovens no curso básico de música e instrumentos de sopro.

Centenas de pessoas da comunidade e convidados prestigiam o concerto. Desta forma, a Casa do Patrimônio também se aproxima da população promovendo a cultura local. O trabalho da Escola de Música é uma ação cultural e social que tem como maior objetivo profissionalizar adolescentes. Como funciona no sitio histórico de Igarassu, ajuda, também, a aproximar a comunidade do patrimônio cultural de Igarassu, cujo conjunto urbano e paisagístico da cidade é tombado pelo IPHAN.

Veja o convite [aqui]

Serviço:
Dia: 2 de março de 2013, às 20h
Local: Sobrado do Imperador, Rua Barbosa Lima, 122, Sítio Histórico, Igarassu (PE).

Mais informações:
Casa do Patrimônio de Igarassu
(81) 35450307 – 97745527

Igreja de São Pedro dos Cléricos, em Recife-PE, começa a ser restaurada

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Pernambuco (IPHAN-PE) inicia as obras de conservação e restauração da igreja de São Pedro dos Clérigos, no bairro de São José,  em Recife. O templo é tombado pelo IPHAN desde 1938. Construída em 1728, a Igreja é uma das mais significativas obras da arquitetura religiosa  em Pernambuco. Possui  uma rica fachada bastante verticalizada, com a imagem de são Pedro nicho do tímpano. Chamam a atenção de fiéis e visitantes o altar-mor e a pintura do forro da nave principal, de João de Deus Sepúlveda.

A obra  terá duração de 24 meses com orçamento de R$ 3,2 milhões. Serão realizados serviços de conservação e restauração da cobertura, estruturas, esquadrias, cantarias, instalações elétricas e hidro-sanitárias, pisos e pintura. A Igreja ficará aberta a visitação, seguindo uma programação que ainda será divulgada.

Igreja Nossa Igreja de Nossa Senhora do Pilar, em Recife, volta a receber fiéis

As obras de restauro da Igreja de Nossa Senhora do Pilar, em Recife, serão entregues pelo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, pela Prefeitura da cidade do Recife, e pela Arquidiocese de Olinda e Recife hoje, dia 11 de janeiro. A solenidade de entrega das obras de restauração terá Missa de Rededicação da Igreja.

As obras tiveram um custo em torno de R$ 470 mil. O processo de restauração e reabilitação do monumento, coordenado pelo IPHAN, teve início em 2009, com três ações preparatórias, de cunho educativo: uma oficina de educação patrimonial através da fotografia, um tapume informativo e uma exposição sobre os ofícios tradicionais da construção. A primeira etapa consistiu em uma obra escola, realizada através de convênio de cooperação entre o IPHAN, a Prefeitura da Cidade do Recife e o Centro de Trabalho e Cultura, que promoveu o envolvimento e a participação da comunidade local no processo de preservação do bem tombado e objetivou formar mão de obra local para atuar na restauração de edificações.

As etapas seguintes, realizadas pelo IPHAN, compreenderam a restauração completa da edificação, de seus bens integrados e a sua adaptação para novos usos.  As obras evidenciaram elementos de relevante valor artístico: a portada principal, esculpida em lioz; a cantaria em arenito com pintura policromada das fachadas e dos arcos e cimalha da nave; a pintura em escaiola nas paredes da capela-mor e da nave e os azulejos portugueses, do século XVII, sobre o arco-cruzeiro e nos rodapés da nave, que revelaram ter sido esse espaço todo revestido por esse elemento. Todas as ações realizadas totalizam um valor em torno de R$ 1,4 milhões.

 

Igreja de Nossa Senhora do Pilar

Monumento nacional, inscrito nos Livros de Tombo Histórico e de Belas Artes, a Igreja de Nossa Senhora foi construída no antigo Istmo do Recife, entre os anos de 1680 e 1683, com os materiais do Forte de São Jorge, invadido pelos holandeses, a Igreja foi recuperada em 1899 pelos moradores da localidade, então denominada Fora-de-Portas.

No século XX, a edificação e seu entorno sofreram impactos da remodelação urbana Porto do Recife e, posteriormente, acompanhou o seu processo de degradação, ficando sem uso e manutenção. O abandono do monumento provocou o desmoronamento da cobertura e propiciou saques e depredações, que se intensificaram entre os anos de 2001 a 2008.

A restauração da Igreja está inserida no contexto urbano da Comunidade do Pilar, que se encontra em processo de reurbanização, pela Prefeitura da Cidade do Recife. Esta ação contempla a construção de edifícios habitacionais, um mercado público, uma escola-creche, um posto de saúde da família e uma praça de lazer.

Serviço: 
Cerimônia de entrega da Obra de Restauro da Igreja Nossa Senhora do Pilar
Data: 11 de janeiro de 2013, a partir das 9h
Local: Igreja Nossa Senhora do Pilar
Endereço: Bairro do Pilar – Recife – Pernambuco
Veja o convite [aqui]

Arquiteta do IPHAN/PE conquista o Prêmio ANA 2012

A arquiteta da Superintendência do Iphan em Pernambuco, Vânia Avelar de Albuquerque, foi distinguida pela Agência Nacional de Águas, com o Prêmio Ana 2012, na categoria Água e Patrimônio Cultural.

O trabalho tem por objetivo a conservação e restauro das estruturas arquitetônicas compostas pelas bicas públicas de Olinda: São Pedro, Quatro Cantos e Rosário e seus entornos, requalificando estes bens tombados e restabelecendo as condições de higiene e potabilidade para os usuários. Além da valorização do conjunto urbano, resgata-se o uso público da água como elemento paisagístico e para o consumo da população.

 

Veja o projeto [aqui]