Prazo das inscrições para o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade é prorrogado

premio-rodrigo-meloAté o próximo dia 15 de maio, estão abertas as inscrições para a 28ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, concurso de carater nacional promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em reconhecimento às ações de preservação do patrimônio cultural brasileiro que mereçam registro, divulgação e reconhecimento público em razão da sua originalidade, vulto ou caráter exemplar.

Serão selecionados oito trabalhos representativos, divididos em duas grandes categorias:

Categoria I – Iniciativas de excelência em técnicas de preservação e salvaguarda do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas de excelência em preservação e salvaguarda, envolvendo identificação, reconhecimento e salvaguarda; pesquisas; projetos, obras e medidas de conservação e restauro.

Categoria II – Iniciativas de excelência em promoção e gestão compartilhada do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas referenciais que demonstrem o compromisso e a responsabilidade compartilhada para com a preservação do patrimônio cultural brasileiro, envolvendo todos os campos da preservação e oriundas do setor público, do setor privado e das comunidades.

O edital divulgado no  Diário Oficial da União tem premiação no valor de R$ 30 mil como estímulo e forma de reconhecimento aos projetos selecionados.

Para outras informações entrar em contato com Departamento de Articulação e Fomento (DAF/Iphan) pelo e-mail premio.prmfa@iphan.gov.br ou telefones (61) 2024-5462 / 2024-5465.

Acesse abaixo edital e anexos da 28ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade.

Edital PRMFA 2015

Anexo 1 – Ficha de inscrição
Anexo 2 – Resumo da ação
Anexo 3 – Mudança de categoria

Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade tem inscrições abertas

premio-rodrigoAté o próximo dia 30 de abril, estão abertas as inscrições para a 28ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, concurso de carater nacional promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em reconhecimento às ações de preservação do patrimônio cultural brasileiro que mereçam registro, divulgação e reconhecimento público em razão da sua originalidade, vulto ou caráter exemplar.

Serão selecionados oito trabalhos representativos, divididos em duas grandes categorias:

Categoria I – Iniciativas de excelência em técnicas de preservação e salvaguarda do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas de excelência em preservação e salvaguarda, envolvendo identificação, reconhecimento e salvaguarda; pesquisas; projetos, obras e medidas de conservação e restauro.

Categoria II – Iniciativas de excelência em promoção e gestão compartilhada do Patrimônio Cultural: visa valorizar e promover iniciativas referenciais que demonstrem o compromisso e a responsabilidade compartilhada para com a preservação do patrimônio cultural brasileiro, envolvendo todos os campos da preservação e oriundas do setor público, do setor privado e das comunidades.

O edital divulgado no Diário Oficial da União tem premiação no valor de R$ 30 mil como estímulo e forma de reconhecimento aos projetos selecionados.

Acesse abaixo edital e anexos da 28ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade.

Edital PRMFA 2015

Anexo 1 – Ficha de inscrição
Anexo 2 – Resumo da ação
Anexo 3 – Mudança de categoria

Veja aqui os vencedores do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade 2014

Os seis vencedores da 27ª Edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), foram conhecidos na última quarta-feira, 13 de agosto. O Prêmio é uma celebração e reconhecimento das ações de preservação e salvaguarda do patrimônio cultural brasileiro.

Nesta edição, cada um dos vencedores receberão um certificado e o valor de R$ 25.000,00. Foram selecionadas três ações em cada uma das categorias, dos estados do Ceará, de Goiás, de Minas Gerais, do Pará, da Paraíba e do Rio de Janeiro.

Categoria I – iniciativas de excelência em técnicas de preservação e salvaguarda do Patrimônio:

• Ação: “Rabecas da Tradição: performance e luteria”. Os rabequeiros, tocadores e fabricantes artesanais da rabeca, mantêm vivo o som deste instrumento, no interior do Ceará, como forma de preservar a cultura do lugar onde vivem.
Proponente: Francisco Gilmar Cavalcante de Carvalho
Estado: Ceará

• Ação: “Projeto Respeitável Público, Respeitável Circo”. A partir de diversas ações e de uma extensa pesquisa documental, o Projeto reacende a memória e a força de expressão cultural do Circo, em Minas Gerais.
Proponente: Sula Kyriacos Mavrudis
Estado: Minas Gerais

• Ação: “Projeto Balsa Buriti Preservando a Memória Fluvial”. Uma balsa feita da leveza do Buriti traz à tona o peso e força da memória, percorrendo, pelo rio, diversas localidades da região e mostrando este antigo costume de construir este tipo de balsa.
Proponente: Fundação Casa da Cultura de Marabá
Estado: Pará

Categoria II – iniciativas de excelência em promoção e gestão compartilhada do Patrimônio:

• Ação: “Projeto Cabocla – Bordando Cidadania”. Oficinas de um antigo costume, o bordado, são ministradas às presidiárias e aos presidiários de Goiás, tecendo novas histórias.
Proponente: Milena Curado de Barros
Estado: Goiás

• Ação: “Memórias e colaborações através do audiovisual”. No município de Zabelê, o pequeno gesto de uma câmera na mão é capaz de reviver e registrar o patrimônio cultural daquele lugar.
Proponente: Associação Cultural de Zabelê.
Estado: Paraíba

• Ação: “Programa de Apoio à Conservação do Patrimônio Cultural – PRÓ-APAC”. A ação propõe a revitalização de residências, como instrumento de manutenção da memória e de preservação do patrimônio.
Proponente: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro/Instituto Rio Patrimônio da Humanidade.
Estado: Rio de Janeiro

A escolha dos premiados ocorreu nos dias 12 e 13 de agosto, na sede do IPHAN em Brasília. Os 16 jurados da Comissão Nacional, presididos pelo diretor do Departamento de Articulação Fomento/DAF do IPHAN, Luiz Philippe Peres Torelly, a partir de seus pareceres sobre as 50 ações finalistas fomentaram um rico debate. A votação dos seis vencedores levou em consideração a relevância e excelência de cada projeto. Por vezes, os jurados reforçaram que as iniciativas participantes demonstram a riqueza de expressões culturais que mantêm viva a memória e o patrimônio cultural brasileiro.

Na 27ª Edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, as Superintendências Estaduais do IPHAN receberam 122 inscrições, em 22 estados brasileiros. Após as triagens, saíram os seis projetos vencedores, que participarão da cerimônia de premiação, no dia 4 de novembro, no Clube do Choro em Brasília. Entre as atividades do Prêmio, ainda serão promovidos debates e mesa redonda, o que visa fomentar a discussão com a sociedade e profissionais da área.

A Comissão Nacional de Avaliação em 2014 teve a seguinte composição:
•  Américo Córdula, secretário de Políticas Culturais do Ministério da Cultura.
•  Ana Beatriz Goulart de Faria, consultora do Ministério de Educação e pesquisadora da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
•  Ana Elisabete de Almeida Medeiros, professora adjunta do Departamento de Teoria e História da Arquitetura e Urbarnismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília.
•  Ana Lúcia Abreu Gomes, professora adjunta do Curso de Museologia da Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília.
•  Briane Panitz Bicca, coordenadora do Monumenta PAC Cidades Históricas Porto Alegre.
•  Damiana Bregalda Jaenisch, mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutoranda em Artes pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
•  Isabel de Freitas Paula, Oficial de Cultura da Representação da UNESCO no Brasil.
•  José Simões Belmont Pessôa, professor associado da Escola de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Fluminense.
•  Luiz Phelipe de Carvalho Castro Andrès, diretor do Centro Vocacional Tecnológico Estaleiro Escola e conselheiro do Conselho Consultivo do IPHAN
•  Maria das Dores Freire, historiadora e consultora.
•  Maria da Graça Nobre Mendes, jornalista da Assessoria de Imprensa da Defensoria Pública da União, do Ministério da Justiça.
•  Simone Scifoni, docente do Depatamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.
•  Telmo Padilha César, fundador da Defesa Civil do Patrimônio Histórico (Defender).
•  Thiago de Andrade, presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil no Distrito Federal.
•  Luiz Philipe Torelly – presidente da Comissão Nacional e diretor do Departamento de Articulação Fomento/DAF do IPHAN.

Rodrigo Melo Franco de Andrade
O advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade nasceu em 17 de agosto de 1898 em Belo Horizonte. Foi redator-chefe e diretor da Revista do Brasil e, na política, foi chefe de gabinete de Francisco Campos, atuando na equipe que integrou o Ministério da Educação e Saúde do governo Getúlio Vargas. O grupo era formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da Semana de 1922. Rodrigo Melo Franco de Andrade comandou o IPHAN desde sua fundação em 1937, até 1967.

Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade edição 2014 está com inscrições abertas

Promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) desde 1987 em reconhecimento às ações de preservação do patrimônio cultural brasileiro, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade está com inscrições abertas até 30 de abril, e traz novidades em sua 27ª edição. Agora, serão selecionados seis trabalhos divididos em duas grandes categorias. A primeira está voltada a Iniciativas de excelência em técnicas de preservação e salvaguarda do Patrimônio Cultural. A segunda tem como foco a promoção e gestão compartilhada do Patrimonio e visa valorizar e promover iniciativas de referência que demonstrem o compromisso e a responsabilidade compartilhada para com a preservação do patrimônio cultural brasileiro, envolvendo todos os campos da preservação e oriundas do setor público, do setor privado e das comunidades.

As inscrições poderão ser feitas via postal ou presencialmente nas Superintendências do IPHAN que promoverão a pré-seleção das ações correspondentes aos seus estados ou ao Distrito Federal. As iniciativas selecionadas nesta fase estadual serão encaminhadas para a Comissão Nacional de Avaliação, que posteriormente anunciará os nomes dos vencedores nacionais.

O edital foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 05 de março. Os candidatos poderão esclarecer dúvidas e obter mais informações sobre o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade junto ao Departamento de Articulação e Fomento (DAF/IPHAN) pelos telefones (61) 2024-5462, 2024-5463 e fax (61) 2024-5499 e também pelo e-mail premio.prmfa@iphan.gov.br.

Acesse aqui o edital da 27ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade.

Lina Bo Bardi
A homenageada desta 27ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade é a responsável por inovações estéticas importantes na arquitetura nacional. Achillina Bo, ou como é mais conhecida, Lina Bo Bardi, nasceu em 05 de dezembro de 1914 em Roma, sendo filha de família genovesa. Junto a seu marido, Pietro Maria Bardi, veio ao Brasil em 1946 onde conheceu Lúcio Costa, Oscar Niemeyer, Athos Bulcão, Burle Marx Portinari, o escultor Landucci e outros, encantando-se pelo país.

Naturalizou-se brasileira em 1951, declarando que “Quando a gente nasce, não escolhe nada, nasce por acaso. Eu não nasci aqui, escolhi esse lugar para viver. Por isso, o Brasil é meu país duas vezes, é minha Pátria de Escolha, e eu me sinto cidadã de todas as cidades”.

Projetou desde importantes espaços culturais do país, como a sede do Museu de Arte de São Paulo (MASP), o Teatro Oficina de São Paulo; o Museu de Arte Moderna da Bahia; e a Casa de Cultura, em Recife. Sua própria residência, conhecida como Casa de Vidro, foi considerada patrimônio Cultural pelo IPHAN em 2007. A artista também estava envolvida com outras artes, a exemplo da pintura, cinema e artes plásticas, designer de móveis, objetos e joias. Lina Bo Bardi faleceu em 1992 em sua Casa de Vidro.

IPHAN premia iniciativas que preservam e fomentam o Patrimônio Cultural Brasileiro

Contando com a presença ilustre da professora Clara de Andrade Alvim, filha do primeiro presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), a 26ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade reuniu os oito vencedores deste ano e convidados no Cine Brasília, na capital federal. A cerimônia da maior premiação nacional de reconhecimento a iniciativas de preservação, valorização e divulgação do patrimônio cultural brasileiro aconteceu na noite desta quinta-feira, 17 de outubro. O IPHAN também presenteou o público com o show de José Miguel Wisnik e Ná Ozzetti, que encerrou as comemorações de 2013.

Premiados e convidados foram recebidos pela presidenta do IPHAN, Jurema Machado, acompanhada pelos diretores e superintendentes do Instituto. A cerimônia contou também com a presença do presidente do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), Ângelo Oswaldo, que também já presidiu o IPHAN. A 26º Edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade celebrou ainda os 120 anos de nascimento do modernista Mário de Andrade, que entre todas as suas contribuições à cultura nacional também elaborou o anteprojeto de Lei de criação do atual IPHAN.

Saudando os premiados e destacando a diversidade da cultura brasileira expressa nas ações vencedoras, a presidenta Jurema Machado relembrou a missão do IPHAN, ao longo de seus 77 anos de existência, período no qual “uma grande rede foi tecida”. Segundo ela, essa rede se consolida a cada ano com as ações evidenciadas nas muitas edições do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. Ela destacou que, somente entre os homenageados deste ano, há “instituições acadêmicas, professores da rede pública, jovens agentes culturais, pesquisadores, restauradores, arqueólogos, comunidades, empresas, ONGs, governos, que, seja em Belém, em São Paulo, em João Pessoa, na Chapada Diamantina, em São Cristóvão, em Sergipe, na Amazônia e em Pernambuco multiplicam e dão sentido à ação do IPHAN”. Em função da trajetória da instituição, Jurema Machado ressaltou que atualmente “não há nenhum grande tema relacionado ao desenvolvimento sobre o qual o IPHAN não tenha algo a dizer. Espera-se que o IPHAN cuide das expressões culturais – ricas, mas frágeis – aquelas que Mário de Andrade inventariou pelo país afora e outras tantas que vem sendo trazidas por novas pesquisas e pelas demandas sociais”, concluiu.

Continue Lendo…

Etapa nacional do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade acontece em agosto

Será nos próximos dias 12 e 13 de agosto, em Brasília, a reunião da Comissão Nacional de Avaliação da 26º edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Este ano, No total, 76 ações foram selecionadas entre as 233 inscritas nos 27 estados Brasileiros. A premiação é uma homenagem ao primeiro presidente do IPHAN e foi criado em 1987 em reconhecimento a ações de proteção, preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro. A partir deste ano, está dividido oito categorias.

As ações selecionadas estão inscritas nas seguintes categorias:
• Patrimônio Material: Bens Imóveis e Paisagens Naturais e Culturais – 07
• Patrimônio Material: Bens Móveis e Acervos Documentais – 12
• Patrimônio Imaterial – 13
• Patrimônio Arqueológico – 04
• Políticas públicas, programas e projetos governamentais – 06
• Responsabilidade Social – 3
• Comunicação e mobilização social – 13
• Ações Educativas – 18

A 26ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade celebra também os 120 anos de nascimento do modernista  Mário de Andrade que, em 1936, a pedido do então ministro da Educação, Gustavo Capanema, elaborou o anteprojeto de lei que resultou na organização jurídica da proteção do patrimônio cultural brasileiro e na criação do atual IPHAN. A festa da premiação será em outubro, em Brasília. O vencedor de cada categoria receberá troféu e R$ 20 mil em dinheiro.

Rodrigo Melo Franco de Andrade
O advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade nasceu em 17 de agosto de 1898 em Belo Horizonte. Foi redator-chefe e diretor da Revista do Brasil e, na política, foi chefe de gabinete de Francisco Campos, atuando na equipe que integrou o Ministério da Educação e Saúde do governo Getúlio Vargas. O grupo era formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da Semana de 1922. Rodrigo Melo Franco de Andrade comandou o IPHAN desde sua fundação em 1937, até 1968.

Inscrições para 26ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade seguem até 17 de junho

Ainda dá tempo de se inscrever na mais importante premiação brasileira do Patrimônio Cultural. As inscrições para a 26ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), encerram-se no próximo dia 17 de junho.

Os candidatos devem enviar o material impresso para as Superintendências do IPHAN, por via postal ou pessoalmente. Os endereços estão listados no edital e também  disponíveis no site do IPHAN (www.iphan.gov.br). As Superintendências promoverão a pré-seleção das ações correspondentes aos seus estados ou ao Distrito Federal e as ações selecionadas nestas etapas estaduais serão encaminhadas para a Comissão Nacional de Avaliação, que posteriormente anunciará os nomes dos vencedores nacionais. Os candidatos poderão esclarecer dúvidas e obter mais informações sobre o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade junto ao Departamento de Articulação e Fomento (DAF/IPHAN) pelos telefones (61) 2024-5462, 2024-5463 e fax (61) 2024-5499 e também pelo e-mail premio.prmfa@iphan.gov.br.

A novidade nesta edição de 2013 são as oito categorias, ampliando assim a identificação e a participação da sociedade civil, de órgãos governamentais e de profissionais que desenvolvem ações e projetos de valorização, divulgação e preservação do patrimônio cultural. A premiação celebrará também os 120 anos de nascimento do modernista  Mário de Andrade que, em 1936, a pedido do então ministro da Educação, Gustavo Capanema, elaborou o anteprojeto de lei que resultou na organização jurídica da proteção do patrimônio cultural brasileiro e na criação do atual IPHAN. O edital foi publicado no Diário Oficial da União do dia 24 de abril.

Confira o Edital e seus anexos:
EDITAL – 26ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade
Anexo 1 – Ficha de Inscrição
Anexo 2 – Resumo da Ação

O Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade é uma homenagem ao primeiro presidente do IPHAN e foi criado em 1987 em reconhecimento a ações de proteção, preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro. A partir deste ano, está dividido oito  categorias:
I. Patrimônio Material: Bens Imóveis e Paisagens Naturais e Culturais;
II. Patrimônio Material: Bens Móveis e Acervos Documentais;
III. Patrimônio Imaterial;
IV. Patrimônio Arqueológico;
V. Políticas públicas, programas e projetos governamentais;
VI. Responsabilidade Social;
VII. Comunicação e mobilização social;
VIII. Ações Educativas.

Essa inovação organiza mais claramente a participação de profissionais, empresas, poder público, comunidades e instituições de sociedade civil, ao estimular a participação de arquitetos, urbanistas, restauradores, paisagistas, engenheiros e outros profissionais que desenvolvem atividades neste campo do conhecimento; e ao valorizar as ações empreendidas por entidades governamentais voltadas para políticas públicas; empresas que desenvolvem ações de responsabilidade social para a preservação do patrimônio  e entidades da sociedade civil dedicadas à educação patrimonial, mobilização e comunicação social.

Mario de Andrade e Rodrigo Melo Franco de Andrade
Muitos intelectuais, escritores e artistas colaboraram para consolidar a ideia de uma instituição voltada para a preservação do patrimônio cultural no Brasil entre os anos 1920 e 1930, entre eles Rodrigo Melo Franco de Andrade, Mario de Andrade, Lucio Costa, Carlos Drummond de Andrade, Sergio Buarque de Holanda e Manuel Bandeira. O Ministro da Educação e Saúde, Gustavo Capanema, em 1936, solicitou a Mário de Andrade a elaboração de um ante-projeto de lei para a organização jurídica da proteção do patrimônio cultural brasileiro e a criação do IPHAN. A partir deste trabalho, sob a coordenação de Rodrigo Melo Franco de Andrade, a instituição foi criada pela Lei Nº 378, de 13 de janeiro de 1937. Em 30 de novembro de 1937 é promulgado o Decreto-Lei Nº 25, que “organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional” e institui o instrumento do tombamento. Ainda hoje o Decreto-Lei Nº25 é o principal instrumento de preservação do patrimônio cultural brasileiro.

O advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade nasceu em 17 de agosto de 1898 em Belo Horizonte. Foi redator-chefe e diretor da Revista do Brasil. Iniciou a vida política como chefe de gabinete de Francisco Campos, atuando na equipe que integrou o Ministério da Educação e Saúde do governo Getúlio Vargas. Entre 1934 e 1945, período em que Gustavo Capanema era ministro da Educação, Rodrigo Melo Franco de Andrade integrou o grupo formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da Semana de 1922, quando se tornou o maior responsável pela consolidação jurídica do tema Patrimônio Cultural no Brasil. Em 1937 fundou o Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, atual IPHAN, que presidiu até 1967.

Mário de Andrade nasceu em São Paulo, em 9 de outubro de 1893. Poeta, romancista, musicólogo, historiador, crítico de arte e fotógrafo, foi um dos principais inspiradores do Modernismo no Brasil, exercendo grande influência na literatura e nas artes modernas brasileira. Esteve pessoalmente envolvido em praticamente todas as áreas que estiveram relacionadas com o modernismo. Suas fotografias e seus ensaios, que cobriam uma ampla variedade de assuntos, da história à literatura e à música. Depois de também trabalhar como professor de música e colunista de jornal, no fim de sua vida, tornou-se diretor-fundador do Departamento Municipal de Cultura de São Paulo, formalizando o papel que havia desempenhado durante muito tempo como catalisador da modernidade artística na cidade e no país.

Encontro promovido pelo IPHAN-PR detalha editais lançados pelo Instituto

Na próxima quinta-feira (16), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Paraná (IPHAN-PR) apresentará ao público interessado três editais em andamento: Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, Edital PNPI 2013 – Grupos de Imigração, e INRC Guarani Mbyá. O evento conta com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba e acontecerá no dia às 14h, na Sala Londrina (Memorial de Curitiba).

Além de detalhar os editais e tirar as dúvidas para a inscrição de projetos e formatação de propostas, serão discutidos os principais pontos que atualmente orientam a Política de Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial no Brasil.

Será apresentado também o Projeto Pêssankas, uma proposta contemplada pelo Programa Nacional de Patrimônio Imaterial (PNPI – edição 2011), oriunda do município de União da Vitória, no Paraná.

Prêmio Rodrigo
Inscrições até 17 de junho

O Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade é o mais importante na área do Patrimônio Cultural e é uma homenagem ao primeiro presidente do IPHAN. Criado em 1987 em reconhecimento a ações de proteção, preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro, o Prêmio agora traz oito categorias:

Continue Lendo aqui

Edição 2013 do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade já está com inscrições abertas

A mais importante premiação brasileira na área do Patrimônio Cultural vem com novidades este ano. Já estão abertas as inscrições para 26ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que agora tem oito categorias, ampliando assim a identificação e a participação da sociedade civil, de órgãos governamentais e de profissionais que desenvolvem ações e projetos de valorização, divulgação e preservação do patrimônio cultural. Em 2013, a premiação celebra também os 120 anos de nascimento do modernista  Mário de Andrade que, em 1936, a pedido do então ministro da Educação, Gustavo Capanema, elaborou o anteprojeto de lei que resultou na organização jurídica da proteção do patrimônio cultural brasileiro e na criação do atual IPHAN.

O edital foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 24 de abril. As inscrições dever ser feitas até 15 de junho, exclusivamente  via postal, enviando-se o material para as Superintendências do IPHAN. Os endereços estão listados no edital e também  disponíveis no site do IPHAN (www.iphan.gov.br). As Superintendências promoverão a pré-seleção das ações correspondentes aos seus estados ou ao Distrito Federal e as ações selecionadas nestas etapas estaduais serão encaminhadas para a Comissão Nacional de Avaliação, que posteriormente anunciará os nomes dos vencedores nacionais. Os candidatos poderão esclarecer dúvidas e obter mais informações sobre o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade junto ao Departamento de Articulação e Fomento (DAF/IPHAN) pelos telefones (61) 2024-5462, 2024-5463 e fax (61) 2024-5499 e também pelo e-mail premio.prmfa@iphan.gov.br.

Confira o Edital e seus anexos:
EDITAL – 26ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade
Anexo 1 – Ficha de Inscrição
Anexo 2 – Resumo da Ação

Continue Lendo no Site Oficial do IPHAN