Proext 2015 divulga o resultado final

Programa Nacional de Extensão Universitária (Proext) 2015 vai contemplar 24 projetos e 17 programas voltados para a preservação do patrimônio cultural. Ao todo, mais de R$ 4 milhões vão ser investidos na extensão universitária.

O programa é uma iniciativa da Secretaria de Educação Superior (Sesu), do Ministério da Educação (MEC), em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Desde a sua criação, em 2009, já foram investidos mais de R$ 20 milhões, somente na linha temática de Patrimônio.

O ProExt é uma ação interministerial, coordenada pelo MEC e desenvolvida em parceria com as instituições públicas de educação superior por meio de programas e projetos de extensão universitária. O programa conta atualmente com 18 parceiros institucionais. A novidade neste ano é a inclusão, na linha temática de patrimônio, coordenada pelo IPHAN, das ações de museologia social, em parceria com a Coordenação de Museologia Social do IBRAM.

Podem participar do ProExt as universidades públicas federais, estaduais e municipais, os institutos federais de educação, ciência e tecnologia, os centros federais de educação tecnológica e as instituições comunitárias.

Para a edição 2015, o edital definiu um aumento do valor dos recursos, que podem ser destinados a programas, com até dois anos de duração (até R$ 300 mil), e a projetos, com duração de um ano (RS 100 mil). O novo edital também permitiu a participação das instituições comunitárias, que não participavam nas edições anteriores.

Para ver as listas com a classificação final da linha temática de Preservação do Patrimônio Cultural clique aqui para projetos e aqui para programas.

Últimos dias : Inscrições para o ProExt do MEC

Programas e projetos de extensão universitária, propostos por universidades públicas, institutos federais de ciência e tecnologia, centros federais de educação tecnológica e instituições comunitárias poderão receber recursos de até R$ 300 mil para o seu desenvolvimento. É o que determina o edital 2015 do Programa Nacional de Extensão Universitária (ProExt), lançado no último dia 07 de fevereiro, pela Secretaria de Educação Superior (Sesu), do Ministério da Educação (MEC). O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) participa do edital desde 2009, com investimentos de R$ 17 milhões, somente na linha do Patrimônio Cultural.

O ProExt é uma ação interministerial, coordenada pelo MEC e desenvolvida em parceria com as instituições públicas de educação superior por meio de programas e projetos de extensão universitária. O programa conta atualmente com 18 parceiros institucionais. A novidade neste ano, é a inclusão, na linha temática de patrimônio, das ações de museologia social, em parceria com a Coordenação de Museologia Social do Ibram.

De acordo com o edital deste ano, podem participar do ProExt as universidades públicas federais, estaduais e municipais, os institutos federais de educação, ciência e tecnologia, os centros federais de educação tecnológica e as instituições comunitárias.

Para a edição 2015, o edital define um aumento do valor dos recursos, que podem ser destinados a programas, com dois anos de duração (até R$ 300 mil), e a projetos, com duração de um ano (RS 100 mil). O edital de 2014 limitava os valores do último a R$ 50 mil e do primeiro a R$ 150 mil. O novo edital também permite a participação das instituições comunitárias, que não participavam nas edições anteriores.

As instituições estão abertas até o dia 28 de março de 2014 para encaminhar as propostas. As inscrições podem ser feitas na página do programa na internet.

MEC abre inscrições para o ProExt 2015

Programas e projetos de extensão universitária, propostos por universidades públicas, institutos federais de ciência e tecnologia, centros federais de educação tecnológica e instituições comunitárias poderão receber recursos de até R$ 300 mil para o seu desenvolvimento. É o que determina o edital 2015 do Programa Nacional de Extensão Universitária (ProExt), lançado no último dia 07 de fevereiro, pela Secretaria de Educação Superior (Sesu), do Ministério da Educação (MEC). O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) participa do edital desde 2009, com investimentos de R$ 17 milhões, somente na linha do Patrimônio Cultural.

O ProExt é uma ação interministerial, coordenada pelo MEC e desenvolvida em parceria com as instituições públicas de educação superior por meio de programas e projetos de extensão universitária. O programa conta atualmente com 18 parceiros institucionais. A novidade neste ano, é a inclusão, na linha temática de patrimônio, das ações de museologia social, em parceria com a Coordenação de Museologia Social do Ibram.

De acordo com o edital deste ano, podem participar do ProExt as universidades públicas federais, estaduais e municipais, os institutos federais de educação, ciência e tecnologia, os centros federais de educação tecnológica e as instituições comunitárias.

Para a edição 2015, o edital define um aumento do valor dos recursos, que podem ser destinados a programas, com dois anos de duração (até R$ 300 mil), e a projetos, com duração de um ano (RS 100 mil). O edital de 2014 limitava os valores do último a R$ 50 mil e do primeiro a R$ 150 mil. O novo edital também permite a participação das instituições comunitárias, que não participavam nas edições anteriores.

As instituições estão abertas até o dia 28 de março de 2014 para encaminhar as propostas. As inscrições podem ser feitas na página do programa na internet.

Poço Redondo é tema de exposição no Rio

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em conjunto com o Ministério da Cultura e o Centro Nacional de Folclore inauguram a exposição da Sala do Artista Popular Fios de Tradição em Poço Redondo, de 29 de agosto a 29 de setembro no Rio de Janeiro/RJ.

O mote é a região do estado de Sergipe conhecida como o Sertão do São Francisco. Numa perspectiva histórica, a Grota de Angico, é o segundo maior destino turístico da região, por ser o local em que o rei do cangaço, Lampião, e integrantes de seu bando foram capturados pelas forças volantes nos idos de 1938.

Os trabalhos artesanais produzidos pelas mulheres do sertão de Sergipe tinham traços e registros marcantes desde o Século XIX sendo comum ouvir relatos de lenços bordados por encomenda para cangaceiros de renome. As obras compõem um variado repertório visual composto por peças de vestuário, enfeites de cabelo, panos de bandeja, cortinas, roupas de mesa e banho surge pelas mãos das rendeiras e bordadeiras, que ao longo de gerações fazem do entrelaçamento de fios uma forma de expressão.

Histórico
Em Poço Redondo, sentadas próximo às janelas para aproveitar a luminosidade, as rendeiras chamam a atenção de quem passa pelo local. No povoado de Sítios Novos, não muito distante da sede do município, é grande o número de mulheres que, uma após outra geração, vêm se dedicando a ornar os cortes de pano com fios que se entrecruzam e entremeiam tecidos em composições graciosas. Os pontos mais frequentes são o ponto-cruz e o rendendê, que na década de 1970 ganhou visibilidade, chegando a ser conhecido como a renda sergipana.

Um variado repertório visual composto por peças de vestuário, enfeites de cabelo, panos de bandeja, cortinas, roupas de mesa e banho surge pelas mãos das rendeiras e bordadeiras, que ao longo de gerações fazem do entrelaçamento de fios uma forma de expressão.

Confira aqui o convite.

Serviço:
Fios de Tradição em Poço Redondo
Local:
Sede do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular – Rua do Catete 179, Rio de Janeiro/RJ.
Data: 29 de agosto a 29 de setembro de 2013.
De terça a sexta, de 11 às 18h. Aos sábados, domingos e feriados, de 15 às 18h.

Edital Proext 2014

edital 2014 do Programa de Extensão Universitária – ProExt está no ar no portal do Ministério da Educação. As inscrições de propostas estão abertas até o dia 22 de março de 2013.
A linha temática número 9 é fruto da parceria do Iphan com o MEC e abrigará iniciativas que visem à preservação do patrimônio cultural brasileiro. As propostas deverão se enquadrar em um dos seguintes subtemas:

– Identificação do patrimônio.
– Articulação para a Política Nacional de Patrimônio Cultural.
– Preservação e Salvaguarda do Patrimônio Cultural.
– Promoção, Educação e Informação para o Patrimônio Cultural.

O ProExt tem o objetivo de apoiar as instituições públicas de ensino superior no desenvolvimento de programas ou projetos de extensão que contribuam para a implementação de políticas públicas. Criado em 2003, o ProExt abrange a extensão universitária com ênfase na inclusão social.

Para a linha de Patrimônio Cultural, as propostas deverão ter como pressuposto a troca de saberes acadêmicos e populares, devendo haver participação ativa tanto da população quanto dos estudantes de graduação no desenvolvimento dos projetos.

Via Educação Patrimonial