Preservação do Parque de Jaboatão do Guararapes é tema de Encontro Nacional

Sem título12Um estudo sistemático sobre aspectos urbanísticos, físicos, socioeconômicos, ambientais, históricos e fundiários do Parque Histórico Nacional dos Guararapes, localizado em Recife (PE), está sendo realizado por técnicos de diversos órgãos da esfera federal e estadual hoje e amanhã, 15 de outubro.

O objetivo do Encontro Nacional, que conta com especialistas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), da Secretaria do Patrimônio da União, do Exército, da Universidade Federal de Pernambuco, da Prefeitura local, dentre outros, é elaborar um plano urbanístico e de Regularização Fundiária para os assentamentos que estão em área de domínio da União.

Confira aqui a programação completa
Confira o folder
Confira o artigo

Serviço:
Encontro Nacional do Projeto Plano de Regulamentação Fundiária do Assentamento Habitacional da área de Domínio da União do Parque Histórico Nacional dos Guararapes-PE.
Data:
14 e 15 de Outubro a partir das 8h.
Local: Mini Auditório do CFCH/UFPE – Av. Jorn. Aníbal Fernandes, Cidade Universitária, Recife-PE.

Recife sedia a 2º Oficina sobre o Patrimônio Religioso

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Pernambuco (IPHAN-PE) promove a 2º Oficina sobre o Patrimônio Religioso no estado a partir das 9h do dia 20 de agosto na sede do instituto em Recife.

O evento é gratuito e aberto a todos os públicos. O objetivo é elaborar um documento propondo proteção e gestão do patrimônio religioso em Pernambuco. A oficina aborda também contextos históricos e socioculturais do período de ocupação do território pernambucano, pela perspectiva da religião.

A oficina pretende, ainda, resgatar e salvaguardar as dinâmicas sociais que envolvem o universo religioso e fornecer subsídios para o Plano de Preservação para o patrimônio religioso em Pernambuco. Com a proteção e a gestão do patrimônio religioso, outras gerações terão a oportunidade de conhecer e resgatar as dinâmicas sociais que envolvem o universo religioso do estado.

Serviço:
2º Oficina sobre Patrimônio religioso em Pernambuco
Data:
20 de agosto de 2013, às 9h
Local: IPHAN-PE
Rua Oliveira Lima, 824 – Boa Vista – Recife – PE
Informações: (81)3228-3011

IPHAN está presente na 65º Reunião da SBPC, em Recife

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) participa de 21 a 26 de julho, no campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Recife-PE, da 65º Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Com a temática Ciência para o Novo Brasil, o espaço constitui-se como um importante fórum tanto para a difusão dos avanços da ciência nas diversas áreas do conhecimento quanto para debates de políticas públicas para a ciência e tecnologia.

O IPHAN integra o evento com um estande que oferecerá ao visitante das 8h às 18h, variadas publicações para consulta e compra. O objetivo é promover a difusão, o conhecimento e a sensibilização da sociedade para a preservação do patrimônio cultural brasileiro.

A Reunião SBPC
Realizada desde 1948, com a participação de representantes de sociedades científicas, autoridades e gestores do sistema nacional de ciência e tecnologia, o evento é realizado sempre em universidade pública variando anualmente nos estados brasileiros.

A programação científica é geralmente composta por conferências, simpósios, mesas-redondas, encontros, sessões especiais, minicursos e sessões de pôsteres. Acontecem também, durante a Reunião Anual, eventos paralelos, como a SBPC Jovem (programação voltada para estudantes do ensino básico), a ExpoT&C (mostra de ciência e tecnologia) e a SBPC Cultural (apresentação de atividades artísticas regionais e discussões sobre temas relacionados à cultura.

Serviço:
65º Reunião anual da SBPC
Data:
21 a 26 de julho de 2013
Local: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) – Campus Recife
Endereço: Av. Prof. Moraes Rego, 1235 – Cidade Universitária, Recife – PE

IPHAN apresenta projeto que vai revitalizar o Engenho Central de Pindaré

Secretária de Estado da Cultura, Olga Simão; Superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN-MA), Kátia Bogéa; Técnicos do IPHAN; Prefeito Municipal de Pindaré Mirim/MA, Walber Furtado; Secretário Municipal de Cultura, José Ribamar Silva; autoridades locais; agentes da cultura do município e sociedade civil participaram, na manhã da última quinta-feira (18.04), na Escola Municipal Raimunda de Nazaré Jansen, de uma audiência pública de apresentação do projeto que visa revitalizar e transformar o Engenho Central em um centro cultural.

COMO É O PROJETO
O projeto conta com uma arquitetura interna moderna e ousada que visa, principalmente, a difusão da cultura local em um espaço próprio. Para a superintendente do IPHAN-MA, Kátia Bogéa, o Monumento é uma referência simbólica tanto para a comunidade da região do Pindaré como para todo o território nacional, já que é tombado pelo patrimônio estadual e nacional. “O Engenho Central tem um valor simbólico e histórico muito grande e por isso, com todos os estudos que fizemos, ele deve ser voltado para a criação de um centro cultural com toda a estrutura interna apropriada”, afirmou a superintendente.

De acordo com os estudos que constam no projeto de revitalização, um dos maiores danos à estrutura física do monumento foi causado pela ação humana. “O item principal avaliado foi o estado de conservação que, na parte externa está bastante degradado, principalmente, pela ação humana; na parte interna o dano maior foi causado pela falta de ventilação que acarretou no umedecimento das paredes do engenho”, concluiu um dos técnicos responsáveis pela elaboração do projeto, Flávio Grillo.

A Secretária de Estado da Cultura, Olga Simão, afirmou durante o evento que essa é uma das muitas parcerias a serem realizadas entre Pindaré-Mirim e Governo do Estado de Maranhão. “Pindaré tem uma cultura muito diversificada que merece, com certeza, ser beneficiada pelas ações do Estado”, afirmou a Secretária.

O centro cultural: Será um espaço voltado para todas as ramificações culturais de Pindaré-Mirim. Ele contará em sua estrutura com salas para exposições artísticas, exibição de cinema, lanchonete, biblioteca e auditório. A previsão para o inicio das obras é para o final deste ano de 2013.

Via Agora Santa Inês

Exposição sobre Roberto Burle Marx segue até o fim do mês, em Recife

Sem títuloAté o dia 28 de abril a Exposição Roberto Burle Marx: a figura humana na obra em desenho pode ser visitada no Centro Cultural Correios, no Recife (PE). A mostra, que já passou por Brasília e pelo Rio de Janeiro, reúne 121 desenhos do artista, produzidos de 1919, aos dez anos de idade, até 1951, que integram o acervo com mais de três mil peças do Sítio Roberto Burle Marx do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN/MinC). Os desenhos sintetizam o período inicial da produção de Burle Marx no campo das artes plásticas, marcado pelo ensino acadêmico. São feitos sobre papel em carvão, grafite, nanquim, lápis de cor, crayon, giz de cera, hidrocor e guache, as obras expostas se subdividem em três conjuntos.

No primeiro deles, há retratos, nus e esboços de figuras, nos quais se percebe a passagem de preocupações relacionadas ao domínio técnico, como o uso do claro-escuro e a proporcionalidade do corpo humano, ao desenvolvimento de uma linguagem própria, inspirada pelo traço cubista e já próxima da abstração, da qual se depreende a generosidade de seu olhar a respeito do ser humano. O segundo conjunto contempla diversas cenas cotidianas, onde cadeiras, mesas e copos denotam a ambiência de bares e restaurantes. Personagens recorrentes, como fuzileiros, marinheiros e jogadores de bilhar, participam de uma atmosfera em que, por vezes, o ponto de vista do observador parece participar das trocas de olhares e palavras comuns a esses locais de convivência e entretenimento. Já o terceiro conjunto é composto de 15 desenhos que não foram apresentados nas duas mostras anteriores, feitos durante uma viagem do artista ao Nordeste brasileiro em 1932, tendo com tema cenas urbanas e rurais, com ênfase nas espécies vegetais encontradas.

O acervo reunido em Roberto Burle Marx: a figura humana na obra em desenho apresenta elementos formais presentes em sua maturidade artística e também revela seu modo de estar no mundo e cultivar amizades e paisagens.

Veja o convite [aqui]

Serviço:
Exposição Roberto Burle Marx: a figura humana na obra em desenho
Data:
 De 6 de fevereiro a 28 de abril de 2013
Visitação: Terça a sexta-feira, das 9h as 18h.
Sábados e Domingos, das 12h as 18h
Local: Centro Cultural Correios
Avenida Marquês de Olinda, 262
Recife Antigo

Esqueletos encontrados no Bairro do Recife contam histórias dos séculos 16 ou 17

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Como num jogo de quebra-cabeça, arqueólogos da Fundação Seridó que descobriram um cemitério com 14 esqueletos humanos no Bairro do Recife combinam peças para identificar a origem dos sepultamentos, associados aos séculos 16 ou 17. As pistas são retiradas de ossos e dentes, onde estão preservadas informações capazes de revelar doenças, hábitos de vida e até a raça. O dente incisivo de um deles, por exemplo, não apresenta características de ancestralidade africana ou indígena.

“Provavelmente é um europeu”, diz o arqueólogo forense Sérgio Monteiro, professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). No osso da tíbia de um dos esqueletos há sinais de um tumor perto do joelho e calcificação junto do calcanhar, indicando que a pessoa mancava. Marcas no dente de outro esqueleto evidenciam fumante de cachimbo. “O dente se desgasta no lugar onde se prende o cachimbo”, explica.

Ossos ainda em processo de formação revelam a existência, no grupo, de pelo menos três adolescentes com idades de 15 a 17 anos. Talvez fossem grumetes (marinheiros em início de carreira), pondera o professor. Outro esqueleto tem o crânio perfurado, o que pode ter provocado a morte. Até agora, não há indícios de covas, caixões e roupas (botões e metais).

“Pela postura dos esqueletos, eles foram enterrados em covas muito estreitas ou envoltos num manto, com o corpo comprimido. Como não há sinais de caixão, podem ter sido deixados diretamente no chão.” Os corpos enrolados em mortalhas sugerem sepultamentos judaicos, comenta o professor. A hipótese de vítimas de doença em massa (peste) ou de guerra não é descartada.

A medição do crânio, diz ele, ajudará a revelar informações sobre a raça. Exames de isótopos estáveis nos dentes funcionarão como indicadores para descobrir do que se alimentavam. “Com isso, também podemos saber de onde vieram. Pelos dentes bem preservados, a comida era mole.” Esta semana, os pesquisadores iniciaram outra etapa do trabalho, o registro dos sepultamentos com o uso do scanner laser, do Instituto Nacional de Paleontologia e Arqueologia do Semiárido do Nordeste, criado por professores e pesquisadores de universidades federais.

Matéria Original Via Jornal Do Commercio

Recife recebe exposição Roberto Burle Marx : a figura humana na obra em desenho

Entre 06 de fevereiro e 28 de abril a exposição Roberto Burle Marx: a figura humana na obra em desenho estará no Centro Cultural Correios, no Recife, após período de sucesso em Brasília e no Rio de Janeiro. Os visitantes poderão conferir 121 desenhos do artista, produzidos de 1919, aos dez anos de idade, até 1951.

Esses desenhos, parte integrante e inédita do acervo com mais de três mil peças do Sítio Roberto Burle Marx do IPHAN/Ministério da Cultura, sintetizam o período inicial de sua produção no campo das artes plásticas, marcado pelo ensino acadêmico. Feitas sobre papel em carvão, grafite, nanquim, lápis de cor, crayon, giz de cera, hidrocor e guache, as obras expostas se subdividem em três conjuntos.

No primeiro deles, há retratos, nus e esboços de figuras, nos quais se percebe a passagem de preocupações relacionadas ao domínio técnico, como o uso do claro-escuro e a proporcionalidade do corpo humano, ao desenvolvimento de uma linguagem própria, inspirada pelo traço cubista e já próxima da abstração, da qual se depreende a generosidade de seu olhar a respeito do ser humano.

O segundo conjunto contempla diversas cenas cotidianas, nas quais cadeiras, mesas e copos denotam a ambiência de bares e restaurantes. Personagens recorrentes, como fuzileiros, marinheiros e jogadores de bilhar, participam de uma atmosfera em que, por vezes, o ponto de vista do observador parece participar das trocas de olhares e palavras comuns a esses locais de convivência e entretenimento.

Por fim, o terceiro conjunto é composto de 15 desenhos não apresentados nas duas mostras anteriores. Foram feitos durante uma viagem do artista ao Nordeste brasileiro em 1932 e têm como tema cenas urbanas e rurais, com ênfase nas espécies vegetais encontradas.

Os desenhos reunidos em Roberto Burle Marx: a figura humana na obra em desenho não apenas prenunciam elementos formais presentes em sua maturidade artística, como também sugerem que seu modo de estar no mundo e cultivar amizades e paisagens participou de maneira decisiva no desenvolvimento das linhas e traços que o singularizam em termos artísticos.

Veja o convite [aqui]

Serviço:
Período: De 06 de fevereiro a 28 de abril de 2013
Visitação – Terça a sexta-feira, das 9h as 18h. / Sábados e Domingos, das 12h as 18h
Local: Centro Cultural Correios
Avenida Marquês de Olinda, 262 – Recife Antigo. (81) 3224-5739

Igreja Nossa Igreja de Nossa Senhora do Pilar, em Recife, volta a receber fiéis

As obras de restauro da Igreja de Nossa Senhora do Pilar, em Recife, serão entregues pelo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, pela Prefeitura da cidade do Recife, e pela Arquidiocese de Olinda e Recife hoje, dia 11 de janeiro. A solenidade de entrega das obras de restauração terá Missa de Rededicação da Igreja.

As obras tiveram um custo em torno de R$ 470 mil. O processo de restauração e reabilitação do monumento, coordenado pelo IPHAN, teve início em 2009, com três ações preparatórias, de cunho educativo: uma oficina de educação patrimonial através da fotografia, um tapume informativo e uma exposição sobre os ofícios tradicionais da construção. A primeira etapa consistiu em uma obra escola, realizada através de convênio de cooperação entre o IPHAN, a Prefeitura da Cidade do Recife e o Centro de Trabalho e Cultura, que promoveu o envolvimento e a participação da comunidade local no processo de preservação do bem tombado e objetivou formar mão de obra local para atuar na restauração de edificações.

As etapas seguintes, realizadas pelo IPHAN, compreenderam a restauração completa da edificação, de seus bens integrados e a sua adaptação para novos usos.  As obras evidenciaram elementos de relevante valor artístico: a portada principal, esculpida em lioz; a cantaria em arenito com pintura policromada das fachadas e dos arcos e cimalha da nave; a pintura em escaiola nas paredes da capela-mor e da nave e os azulejos portugueses, do século XVII, sobre o arco-cruzeiro e nos rodapés da nave, que revelaram ter sido esse espaço todo revestido por esse elemento. Todas as ações realizadas totalizam um valor em torno de R$ 1,4 milhões.

 

Igreja de Nossa Senhora do Pilar

Monumento nacional, inscrito nos Livros de Tombo Histórico e de Belas Artes, a Igreja de Nossa Senhora foi construída no antigo Istmo do Recife, entre os anos de 1680 e 1683, com os materiais do Forte de São Jorge, invadido pelos holandeses, a Igreja foi recuperada em 1899 pelos moradores da localidade, então denominada Fora-de-Portas.

No século XX, a edificação e seu entorno sofreram impactos da remodelação urbana Porto do Recife e, posteriormente, acompanhou o seu processo de degradação, ficando sem uso e manutenção. O abandono do monumento provocou o desmoronamento da cobertura e propiciou saques e depredações, que se intensificaram entre os anos de 2001 a 2008.

A restauração da Igreja está inserida no contexto urbano da Comunidade do Pilar, que se encontra em processo de reurbanização, pela Prefeitura da Cidade do Recife. Esta ação contempla a construção de edifícios habitacionais, um mercado público, uma escola-creche, um posto de saúde da família e uma praça de lazer.

Serviço: 
Cerimônia de entrega da Obra de Restauro da Igreja Nossa Senhora do Pilar
Data: 11 de janeiro de 2013, a partir das 9h
Local: Igreja Nossa Senhora do Pilar
Endereço: Bairro do Pilar – Recife – Pernambuco
Veja o convite [aqui]