Prédio cedido pelo IPHAN a Caxias do Sul é restaurado

Mais um imóvel da extinta Rede Ferroviária Federal (RFFSA) passará a ter função cultural. O antigo prédio da Oficina de Locomotivas do complexo da Estação Férrea de Caxias do Sul (RS) está restaurado e será entregue nesta quarta-feira, 17, à comunidade.

O prédio foi cedido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) para uso do município durante 20 anos, após o Termo de Compromisso firmado em 2011. A iniciativa tem como principal objetivo preservar a memória ferroviária local ao promover a revitalização e a reestruturação do espaço para destinação compatível ao seu valor cultural, para fins de lazer e de desenvolvimento turístico.  Os recintos da Estação Ferroviária de Caxias do Sul, de Forqueta, bem como o leito ferroviário destas estações também foram cedidas pelo IPHAN ao município.

Com área de 450 m², a antiga oficina integra o complexo arquitetônico da Estação Férrea, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE). De acordo com a prefeitura, o novo espaço abrigará uma biblioteca parque que realizará ações de estímulo à leitura voltado às crianças, jovens e adultos, como também a promoção da educação patrimonial.

Serviço
Data: 17 de abril de 2013 – Quarta-feira
Horário: 15 horas
Local: Estação Férrea, Rua Augusto Pestana, 50 – Bairro São Pelegrino, Caxias do Sul (RS)

Boa notícia : Museu do Trem reabre no Rio de Janeiro

Com mais de mil itens, o acervo, que passou por criterioso inventário, abrange equipamentos ferroviários, utensílios, mobiliário e até locomotivas como a Baroneza, construída na Inglaterra, movida a vapor e a primeira a trafegar na estrada de ferro de Petrópolis.

Outros destaques são um vagão usado pelo ex-presidente Getúlio Vargas e outro onde viajou o Rei Alberto, da Bélgica, quando esteve no Brasil em visita oficial, em 1922.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Rio de Janeiro (IPHAN-RJ) reabrirá o Museu do Trem, na próxima terça-feira, dia 02 de abril.

Fechado ao público desde 2007, o Museu teve seu prédio e acervo, uma das maiores referências da memória ferroviária do país, tombados pelo IPHAN em 2011

O prédio abrigou o maior conjunto de oficinas de locomoção da América Latina, que ajudou inclusive na formação bairro do Engenho de Dentro. O Museu e a sua coleção pertenciam à Rede Ferroviária Federal, extinta há seis anos, cujo acervo considerado de valor histórico e cultural foi absorvido pelo IPHAN.

Situado na Rua Arquias Cordeiro, 1046, Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, o Museu do Trem ficará aberto de segunda a sexta-feira, das 10h às 15h, com entrada franca. Informações, inclusive sobre visitas guiadas para escolas, podem ser obtidas pelo telefone 21 2233-7483.