Artigo: Rodrigo M. F. de Andrade: “the right man in the right place”

Essa é uma colaboração à Semana do Patrimônio Cultural do IPHAN, assinada por Vanuza Moreira Braga, doutoranda em História pela Universidade Cândido Mendes, que desenvolve tese sobre Rodrigo Melo Franco de Andrade.

Leia o artigo clicando [aqui].

O conto de hoje: O enterro de Seu Ernesto

Nesta sexta-feira, dia 16 de agosto, a Semana do Patrimônio Cultural traz o conto O enterro de Seu Ernesto. Essa é uma das oito histórias de Velórios, único livro de ficção escrito por Rodrigo Melo Franco de Andrade. Os outros são D. Guiomar, Martiniano e a campesina, Quando minha avó morreu, Seu Magalhaes suicidou-se, Iniciação, O Príncipe dos Prosadores e O Nortista.

A editora Cosac & Naify é parceira do IPHAN na realização da Semana do Patrimônio e autorizou, gentilmente, a reprodução dos oito contos, na íntegra, neste espaço.  Desta forma, uma obra pouco conhecida de Rodrigo Melo Franco de Andrade poderá será lida por seus admiradores.

Leia hoje o conto O enterro de Seu Ernesto.

Boa leitura!

Conto de hoje: Quando minha avó morreu

Nesta quarta-feira, dia 14 de agosto, a Semana do Patrimônio Cultural traz o conto Quando minha avó morreu. Essa é uma das oito histórias de Velórios, único livro de ficção escrito por Rodrigo Melo Franco de Andrade. Os outros são D. Guiomar, Martiniano e a campesina, Seu Magalhães suicidou-se, O enterro de Seu Ernesto, Iniciação, O Príncipe dos Pensadores e O Nortista.

A editora Cosac & Naify é parceira do IPHAN na realização da Semana do Patrimônio e autorizou, gentilmente, a reprodução dos oito contos, na íntegra, neste espaço.  Desta forma, uma obra pouco conhecida de Rodrigo Melo Franco de Andrade poderá será lida por seus admiradores.

Leia hoje, o segundo conto, Quando minha avó morreu.

Boa leitura!

Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade divulga vencedores de 2013

A premiação será dia 17 de outubro, no auditório do Museu Nacional, em Brasília

Os projetos vencedores do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade foram selecionados pela Comissão Nacional de Avaliação, reunida na sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), em Brasília, nos dias 12 e 13 de agosto. As ações vieram dos estados do Pará, Bahia, Paraíba, Pernambuco, Sergipe e São Paulo.

Ao final do encontro, os jurados da Comissão Nacional foram unânimes em afirmar que é extremamente gratificante participar da avaliação dos projetos. Segundo eles, mais que premiar os selecionados, o processo permite conhecer a diversidade da cultura brasileira e as mais variadas atividades de resgate da memória nacional e de divulgação, valorização e preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro. Este ano, foram inscritas 233 ações em todo o país sendo que 76 foram as finalistas da etapa nacional.

Na edição 2013, os vencedores nacionais de cada categoria são os seguintes:

• Patrimônio Material: Bens Imóveis e Paisagens Naturais e Culturais
Ação: Coleta, catalogação, higienização e montagem de fragmentos de azulejos da residência Victor Maria da Silva
Proponente: Laboratório de Conservação, Restauração e Reabilitação – Lacore/UFPA
Estado: Pará
• Patrimônio Material: Bens Móveis e Acervos Documentais
Ação: Centro de Memória Dorina Nowill
Proponente: Fundação Dorina Nowill para cegos
Estado: São Paulo
• Patrimônio Imaterial
Ação: Museu do Patrimônio Vivo de João Pessoa
Proponente: Coletivo Jaraguá
Estado: Paraíba
 Patrimônio Arqueológico
Ação: Circuitos Arqueológicos: Práticas Sociais da Arqueologia na Chapada Diamantina – Bahia
Proponente: Carlos Etchervarne
Estado: Bahia
• Políticas públicas, programas e projetos governamentais
Ação: Programa educativo do Museu Histórico de Sergipe – 2010-2012
Proponente: Museu Histórico do Sergipe
Estado: Sergipe
• Responsabilidade Social
Ação: Museu da gente Sergipana – projetos e exposições
Proponente: Instituto Banese
Estado: Sergipe
• Comunicação e mobilização social
Ação: Povos Indígenas no Brasil
Proponente: Instituto Socioambiental
Estado: São Paulo
• Ações Educativas
Ação: Mané Gostoso e o Vaivém do Lúdico
Proponente: Centro de Criação Galpão das Artes
Estado: Pernambuco

Os vencedores receberão certificado, troféu e R$ 20 mil em dinheiro. Este ano, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade celebra também os 120 anos de nascimento do modernista Mário de Andrade que, em 1936, a pedido do então ministro da Educação, Gustavo Capanema, elaborou o anteprojeto de lei que resultou na organização jurídica da proteção do patrimônio cultural brasileiro e na criação do atual IPHAN.

A Comissão Nacional de Avaliação em 2013 teve a seguinte composição:
• Luiz Philippe Torelly – Diretor do Departamento de Articulação e Fomento (DAF/IPHAN) – Presidente da Comissão Nacional de Avaliação
• Alcione Carolina Gabriel Da Silva, Coordenadora Geral de Cultura e Comunicação, na Diretoria de Educação e Comunicação para Cultura, Secretaria de Políticas Culturais do Ministério da Cultura
• Ana Lucia Abreu, professora adjunta do Curso de Museologia da Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília
• Andrea Cury Zarattini, Analista Ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)
• Artur Nobre Mendes, Coordenador Geral de Gestão Estratégica da Fundação Nacional do Índio (FUNAI)
• Conceição Freitas, jornalista do Correio Braziliense
• Dina Lerner, do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC /SEC – RJ)
• Isabel De Paula Freitas, da Representação da UNESCO no Brasil
• Ivanna Sant’ana Torres, representante da Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal
• Leonardo Silveira Hernandes, Subsecretário de Fomento da Secretaria de Cultura do DF, responsável pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC/DF)
• Maria Angela Cunico, Coordenadora Geral do Programa de Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais Aplicadas do CNPq
• Maria da Graça Nobre Mendes, jornalista da Assessoria de Imprensa da Defensoria Pública da União, do Ministério da Justiça
• Marcia Abreu, Assessora da 4ª Secretaria da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados
• Maria Da Conceição Alves De Guimaraens, Diretora de Cultura do Instituto de Arquitetos do Brasil
• Rosina Coeli Alice Parchen, Chefe da Coordenação de Patrimônio Cultural da Secretaria de Estado de Cultura do Estado do Paraná
• Tânia de Castro Bernardes Barbosa Caldeira, Coordenadora de Fomento e Financiamento do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM)

Rodrigo Melo Franco de Andrade
O advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade nasceu em 17 de agosto de 1898 em Belo Horizonte. Foi redator-chefe e diretor da Revista do Brasil e, na política, foi chefe de gabinete de Francisco Campos, atuando na equipe que integrou o Ministério da Educação e Saúde do governo Getúlio Vargas. O grupo era formado por intelectuais e artistas herdeiros dos ideais da Semana de 1922. Rodrigo Melo Franco de Andrade comandou o IPHAN desde sua fundação em 1937, até 1967.

Conto de hoje: Martiniano e a campes

Dando sequência ao trabalho iniciado na segunda-feira, dia 12 de agosto, a Semana do Patrimônio Cultural traz hoje o conto Martiniano e a campesina. Essa é uma das oito histórias de Velórios, único livro de ficção escrito por Rodrigo Melo Franco de Andrade. Os outros são D. Guiomar, Quando minha avó morreu, Seu Magalhães suicidou-se, O enterro de Seu Ernesto, Iniciação, O Príncipe dos Pensadores e O Nortista.

A editora Cosac & Naify é parceira do IPHAN na realização da Semana do Patrimônio e autorizou, gentilmente, a reprodução dos oito contos, na íntegra, neste espaço.  Desta forma, uma obra pouco conhecida de Rodrigo Melo Franco de Andrade poderá será lida por seus admiradores.

Leia hoje, o segundo conto, Martiniano e a campesina.

Boa leitura!