Cultura Jesuítico-Guarani é tema de seminário no Rio Grande do Sul

O Sítio de São Miguel Arcanjo, considerado Patrimônio Nacional desde 1938 e declarado como Patrimônio Mundial em 1983, é uma das grandes belezas gaúchas. Para comemorar estas datas, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Rio Grande do Sul (IPHAN-RS), em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura e a Prefeitura de São Miguel das Missões, promove o Seminário Internacional Missões – Patrimônio da Humanidade: Turismo Cultural e Preservação, nos dias 12 e 13 de dezembro.

Inserido no PAC das Cidades Históricas, o sítio receberá em 2014, um Centro Cultural das Missões com espaço para receber turistas e apreciadores de história da arte. A programação das festividades inclui a apresentação do Coral Guarani e apresentação da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, no palco em frente às Ruínas. O encerramento será com o espetáculo de Som e Luz, no dia 13, às 21h30. As inscrições para o seminário podem ser feitas pelo e-mail: parque.missões@iphan.gov.br ou pelo telefone (55) 3381-1399. Confira [aqui] a programação.

Missões Jesuíticas

O município gaúcho abriga parte da antiga redução Jesuítica-Guarani de São Miguel Arcanjo, fundada por volta de 1687, e o Museu das Missões, inaugurado em 1940. A serviço da coroa espanhola, os catequizadores jesuítas iniciaram 30 grupos de evangelização em terras indígenas no sul do Brasil. Em meio ao campo, florestas e gado de corte, os jesuítas implantaram pequenas colônias cada uma com seu povoado: praças, igrejas, colégios, cemitério e outas edificações. O sistema colaborativo idealizado fez com que aumentasse o imaginário europeu sobre as missões e a utopia do novo mundo.  Com a expulsão dos missionários, as colônias minguaram em algumas, só restam ruinas.

Declarado como patrimônio mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (UNESCO), a cidade se tornou ponto turístico pelos vestígios imponentes, marcados pela espiritualidade. São Miguel Arcanjo é parte importante da história do Rio Grande do Sul. A conservação das ruínas é realizada pelo IPHAN desde 1938, um trabalho que inclui também o patrimônio cultural dos Guarani e a paisagem cultural da região.

Museu das Missões
O Museu das Missões faz parte do sítio tombado pela União em 1937, onde está situado o mais significativo remanescente material dos Sete Povos das Missões, comunidades indígenas lideradas e organizadas pelos Jesuítas. Neste sítio foi erguida a Igreja de São Miguel Arcanjo, declarada Patrimônio Mundial pela Unesco, em 1983.

O Museu foi criado em 8 de março de 1940, projeto do arquiteto Lucio Costa e abriga a maior coleção de arte missioneira do Brasil. De terça-feira à domingo é realizado no Sítio Histórico o espetáculo de Som e Luz relatando as guerras guaraníticas. O Museu também apresenta os vídeos Sonho da Paixão e Computação Gráfica.

Serviço:
Seminário Internacional Missões – Patrimônio da Humanidade: Turismo Cultural e Preservação
Data:
12 e 13 de Dezembro de 2013
Local: Hotel Park Tenondé – São Miguel das Missões

Rua São Miguel, 664 – Centro

Seminário de Patrimônio Ferroviário acontece no Paraná

Com o objetivo de apresentar questões conceituais que orientam a preservação do patrimônio ferroviário, em diálogo com as experiências práticas de gestores e técnicos, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Paraná (IPHAN-PR), em parceria com o Goethe-Institut de Curitiba, promove o Seminário de Patrimônio Ferroviário, que acontece de 11 a 13 de novembro, no auditório do Goethe-Institut de Curitiba.

A abertura do evento contará com a participação do Coordenador do Patrimônio Ferroviário do IPHAN, José Cavalcanti e do Superintendente do IPHAN-PR, José La Pastina. As instâncias, atores e perspectivas da preservação do Patrimônio serão abordados por Matheus Cotta, arquiteto e urbanista do IPHAN em Minas Gerais, e os Arranjos, ações e perspectivas na preservação e memória ferroviária do Rio de Janeiro pelo Superintendente no Estado, Ivo Barreto.  Haverá também palestras de pesquisadores renomados, como o historiador Eduardo Romero de Oliveira, o arquiteto Antonio Soukef Junior, o geógrafo Leonel Brizolla Monastirsky.

O Seminário aborda ainda as boas práticas de preservação do Patrimônio Ferroviário no Paraná, vai levantar demandas e elaborar propostas para o desdobramento de ações mais efetivas. O Seminário de Patrimônio Ferroviário traz uma mostra de fotos do acervo do IPHAN-PR, de autoria de Marc Ferrez e Arthur Wischral, sobre a construção da Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba e trabalhadores ferroviários. A exposição tem o apoio do Centro de Memória do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná – TRT-PR.

Confira aqui o convite.

Confira aqui a programação.

Iphan/PB promove Seminário “Patrimônio e Educação”

A Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, por meio da Casa do Patrimônio de João Pessoa, realizará o Seminário “Patrimônio e Educação”, com o objetivo de debater processos educativos no âmbito da educação não-formal, voltados à valorização do patrimônio cultural.

O evento será realizado no dia 18 de setembro, das 9 às 12h, na sede da Casa do Patrimônio de João Pessoa, localizada na Praça Rio Branco, nº 30 – Centro.

A programação se inicia com a fala de Igor Alexander, historiador e mestrando em patrimônio cultural pelo Iphan, com a palestra “Na confluência da roda: documentos patrimoniais, educação patrimonial e pedagogia griô”. O objeto da sua pesquisa são as práticas educativas empreendidas pela Escola Viva Olho do Tempo – Evot, localizada no Vale do Gramame, zona rural de João Pessoa. A Evot é uma ONG que atua na região e seu trabalho está voltado para a valorização das referências culturais locais.

O debate segue com a apresentação “Areia e seus museus: ações de integração com a comunidade”, da arquiteta Lucia Giovanna, coordenadora do Ponto de Cultura Viva o Museu e atual secretária de Educação da cidade de Areia. Vencedor do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade – Edição 2012, na categoria “Preservação de Acervos”, o projeto desenvolvido em Areia é um exemplo de envolvimento da comunidade, sobretudo dos jovens locais, com vistas à preservação, valorização e apropriação do seu patrimônio cultural.

Por último será a palestra “Museu do Patrimônio Vivo: uma experiência piloto de salvaguarda de patrimônio imaterial”, com Marcela Muccillo, sócia fundadora da ONG Coletivo Jaraguá e coordenadora-geral do projeto “Museu do Patrimônio Vivo de João Pessoa”. Essa iniciativa foi vencedora do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade – Edição 2013, na categoria “Patrimônio Imaterial”. O projeto consiste na valorização das manifestações culturais de diferentes bairros da cidade de João Pessoa, com forte trabalho baseado na transmissão dos saberes pelos mestres da cultura popular aos jovens locais.

Patrimônio cultural de Palmas é tema de Seminário

Promover o diálogo entre o poder público, estudantes, agentes culturais e sociedade para a construção de políticas públicas é o objetivo do Seminário Patrimônio Cultural de Palmas, que será realizado na próxima sexta-feira (14), na capital, no auditório das Faculdades Objetivo.

O evento promovido pela Associação Amigos do Patrimônio Cultural de Palmas (AAPCP) contará com a presença do superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Tocantins (IPHAN-TO), Antônio Miranda dos Santos, que palestrará sobre o financiamento público para o patrimônio Cultural de Palmas.

O Seminário ainda abordará o patrimônio arqueológico, o tombamento de Taquaruçu; e o patrimônio cultural material e imaterial da cidade. As inscrições serão gratuitas e podem ser feitas no local.

Todos os participantes receberão certificado de 10 horas. Confira aqui a programação completa.

Serviço:
Seminário sobre o Patrimônio Cultural de Palmas
Local: Auditório das Faculdades Objetivo
Endereço: Quadra 402 Sul, Conjunto 02, Lotes 7 e 8 Palmas/TO
Data: 14 de Junho de 2013.
Horário: das 8 às 18h30.

Queijo Minas Internacional

Queijo artesanal produzido com leite cru, como o da Canastra, é um dos produtos mais tradicionais da culinária mineira. / Divulgação

Reconhecida como patrimônio imaterial brasileiro pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), a forma de produção do queijo minas artesanal feito com leite cru será destaque na Superagro 2013, de 4 a 6 de junho, no Seminário Internacional Sobre Indicações Geográficas (IG) e Queijos Artesanais.

O evento terá a participação da França, com profissionais do mercado e de pesquisa, o que fomentará discussões entre os cenários da cadeia produtiva do produto, levantando temas relacionados à legislação e agregação de valor ao produto.

Além de diversas palestras, o fórum irá sistematizar o documento final do Plano de Salvaguarda do Modo Artesanal de Fazer Queijo de Minas, que consiste no levantamento de ações e estabelecimento de parcerias, preservando o modo de produção tradicional do queijo cru.

Participarão do evento representantes de instituições públicas e privadas, de ensino, pesquisa e extensão, organizações de produtores como associações, cooperativas e sindicatos e profissionais com atuação no setor, além de 70 produtores mineiros de cinco regiões do Estado reconhecidas como produtoras de queijo artesanal: Canastra, Cerrado, Araxá, Serro e Campos das Vertentes.

Estima-se que atualmente existam cerca de 30 mil produtores de queijo minas artesanal no Estado.

O seminário contribuirá para reforçar as expectativas promissoras da comercialização do queijo em outros estados brasileiros e a valorização do mesmo, com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva do setor.

“O evento é fundamental para incentivar a legalização de muitas queijarias que ainda operam no mercado informal. O seminário abordará a importância da adesão à Portaria 1305, de 30 de abril deste ano, expedida pelo IMA, cuja resolução estabelece novas diretrizes para a produção do item”, informou a coordenadora de Agregação de Valor e Geração de Renda da Seapa, Ana Helena Cunha.

Segundo ela, com os estabelecimentos ajustados às regras e devidamente cadastrados, os produtores de queijo artesanal do Estado poderão conquistar novos mercados, conseguindo se adequar à legislação, contribuindo ainda para uma maior geração de renda familiar.

“O momento é de trocar experiências com outros países, como a França, que já pratica a Indicação Geográfica (IG) e passou por obstáculos semelhantes aos produtores mineiros no que diz respeito à formalização, adequação sanitária e logística de comercialização do produto. Vamos apresentar no Seminário a operacionalização e os benefícios do registro IG, com a participação de técnicos e produtores franceses”, disse.

A participação da França no evento decorre do Protocolo de Cooperação Franco-Brasileiro sobre Indicações Geográficas, assinado em 2011 entre os ministérios da agricultura dos dois países.

As IG e as Marcas Coletivas, classificadas como “Signos Distintivos”, são importantes ferramentas de desenvolvimento rural, utilizadas para identificar produtos ou serviços por meio de sua origem, qualidade, fabricante ou outra característica própria, além de representarem um fator de competitividade no setor produtivo.

As regiões do Serro e da Canastra já possuem o registro de IG, que deverá ser levado agora para as regiões de Araxá, Campos das Vertentes e Cerrado. “Entre os benefícios gerados pelo registro de IG estão a padronização e melhoria qualitativa do produto”, destacou Ana Helena.

fonte: ClicFolha

II SEMINÁRIO – PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL

PROGRAMAÇÃO:
TERÇA
14/05, 19h – Abertura
“Andanças do Patrimônio”- Instituto Baobá de Cultura e Arte (Ibaô)
Rosiane Nunes /IPHAN
Jô Brandão /MinC
Daisy Ribeiro/ CSPC
Ney Carrasco / Secretaria Municipal de Cultura

QUARTA
15/05 “Capoeira e Jongo: bens locais, reconhecimento nacional”
10h – Roda de Detentores Alessandra Ribeiro David Rosa Topete Capoeira Resistência Danny Soares Marcos A Simplicio Simplicio Rene Ramos Valdomiro Emori
14h – Vivência de Jongo
15h – Vivência de Capoeira
16h30 – Palestra: “Brinquedos e brincadeiras: patrimônio cultural intangível da humanidade” – Regina Márcia M. Tavares
17h30 – Cine Cultura: “Capoeira patrimônio imaterial – TV UFBA”
19h30 – Mesa: Políticas públicas para a salvaguarda no âmbito municipal
(Rosiane Nunes / IPHAN SP – Daisy Ribeiro/CSPC – Gabriel Rapassi – Ney Carrasco/ Sec.Cultura)

QUINTA

16/05 “Os terreiros da Salvaguarda”
10h – Cultura Viva e a Matriz Africana na SCDC – Jô Brandão / MinC (DF) / O Acarajé como bem imaterial – Mãe Eleonora / ABAM (SP)
14h – Patrimônio: desenvolvimento cultural e sustentável
Mãe Isabel – Ponto de Cultura Caminhos/Grife Criolê (SP) / Eliana Souza e Leda Sant’Ana / Bankoma (BA) – Taata Mutá Imê / Nação Angolão Paketan (BA)
15h30 – Palestra “Matrizes africanas na educação: a discriminação de crianças no contexto escolar” – Stela Guedes Caputo (RJ)
17h30 – Cine Cultura “Ori: a valorização de um povo” (filme de Beatriz Nascimento)
19h30 – Vivência “Dança Pé no Chão” – Taata Mutá Imê

SEXTA
17/05 “O patrimônio na roda”
10h – Palestra: “Patrimônios da diáspora: bens materiais e imateriais no contexto do Cais do Valongo, diálogos e interfaces com a Salvaguarda da Capoeira” Carlos Eugênio Líbano Soares (RJ)
14h – Palestra “O Samba de Roda do Recôncavo como patrimônio cultural da humanidade” Rosildo Rosário – ASSEBA (BA) / Lavagem das Escadarias da Catedral Metropolitana de Campinas e sua trajetória (a confirmar)
15h30 – Vivências de Maculelê e Samba de Roda : Mestre Primeiro / ASSEBA (BA)
18h – Mesa de encerramento do II Seminário de Patrimônio Cultural Imaterial
19h – Afoxé Ibaô

SÁBADO
18/05 “Abertura do Ginga Cultural 2013 e X Batizado e troca de cordas – C.C. Capoeira RaízesdoBrasil”
10h – Roteiro cultural na Fazenda Roseira
15h – “X Batizado e Troca de Cordas do Raízes do Brasil” – Contramestre David (Ibaô)
20h – Confraternização no Ibaô – Samba do Casa Caiada

INSCRIÇÕES: https://docs.google.com/forms/d/1MNHRYrMsWd_c2evybeCuKdLKohLC356w4N9UTKMocz4/viewform

* Arte gráfica: produzida em software livre, durante oficina ministrada por Sília Moan Moan do NosDigitais Teia#Projeto Especial Ibaô.

Seminário em Campinas discute memória e criatividade como fatores para transformação social

De 14 a 19 de maio de 2013, o Ponto de Cultura e Memória Ibaô realizará o II Seminário de Patrimônio Cultural Imaterial em Campinas-SP. Com apoio da Secretaria Municipal de Cultura e da Coordenadoria Setorial de Patrimônio Cultural do município, e do Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (IPHAN), o seminário acontece na semana nacional de museus e terá como tema: A memória e criatividade como fatores para transformação social.

O seminário gratuito, com inscrições até 10 de maio, vai reunir pela segunda vez: capoeiristas, jongueiros e demais detentores e comunidades ligadas à salvaguarda do patrimônio imaterial para dialogar com gestores sobre as políticas públicas de preservação dos bens culturais no âmbito nacional. O evento busca ampliar o debate em manifestações culturais de matriz africana, na salvaguarda da capoeira e do jongo no município de Campinas, apresentando novos desafios e possibilidades para a implementação de políticas públicas nacionais do patrimônio no âmbito municipal.

A programação do Seminário conta com mesas temáticas, práticas artístico-culturais, vivências e rodas de conversa, além do X Batizado e Troca de Graduações do Centro Cultural de Capoeira Raízes do Brasil de Campinas.

Veja o convite [Aqui]

Serviço:
II Seminário do Patrimônio Cultural Imaterial
Data: 14 a 19 de maio de 2012
Local: Ponto de Cultura e Memória Ibaô.
Rua Ema, 170 – Vila Padre Manoel da Nóbrega – Campinas/SP
Informações e inscrições:

www.institutobaoba.blogspot.com/pculturaibao@gmail.com

(19) 3342-5911 / 9173-0887 / 9111-4757

Seminário de Pesquisa do Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural do IPHAN – Brasília

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional promove em Brasília, no próximo dia 30, às 14h30, o Seminário de Pesquisa do Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural do IPHAN.

O PEP/MP é um Programa de Pós-Graduação que visa à formação interdisciplinar de profissionais graduados em diversas áreas de conhecimento para atuarem no campo da preservação do patrimônio cultural. A proposta pedagógica do Mestrado associa práticas de preservação ao aprendizado teórico-metodológico e à pesquisa. O Seminário de Pesquisa é uma das atividades do Programa, que tem como objetivo a apresentação, pelos alunos, das atividades e pesquisas em desenvolvimento em seus departamentos e a discussão dos temas relacionados à preservação com outros profissionais e colegas, professores, estudantes e pesquisadores.

Nesta edição, o Seminário abordará temáticas de educação patrimonial, reconhecimento e preservação do patrimônio cultural quilombola, instrumentos jurídicos de proteção aos direitos coletivos e direitos difusos relacionados aos bens registrados e os desafios na relação entre bens edificados e tecnologias digitais.

Seminário de Pesquisa do PEP/MP IPHAN
Data: 30/04/2013 – 14h30
Local: Sala de Reuniões (sala do Comitê Gestor), 5º andar
Sede do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN)
SEPS 713/913 Bloco D, 5º andar, Asa Sul, Brasília, DF

Via Educação Patrimonial